Sérgio Reis

Menino da porteira

95.483 exibições
Tom: D
D                                             A
Toda vez que eu viajava pela Estrada de Ouro Fino
                                      D
de longe eu avistava a figura de um menino
                                                 A
que corria abrir a porteira e depois vinha me pedindo:
                                                  D
- Toque o berrante seu moço que é pra eu ficar ouvindo.
  G                                      A
Quando a boiada passava e a poeira ia baixando,
                                D
eu jogava uma moeda e ele saía pulando:
                                           A
- Obrigado boiadeiro, que Deus vá lhe acompanhando
                                            D
pra aquele sertão à fora meu berrante ia tocando.
                                                A
Nos caminhos desta vida muitos espinhos eu encontrei,
                                                  D
mas nenhum calou mais fundo do que isso que eu passei
                                             A
Na minha viagem de volta qualquer coisa eu cismei
                                        D
Vendo a porteira fechada o menino não avistei.
 G                                          A
Apeei do meu cavalo e no ranchinho a beira chão
                                            D
Ví uma mulher chorando, quis saber qual a razão
                                           A
- Boiadeiro veio tarde, veja a cruz no estradão!
                                            D
Quem matou o meu filhinho foi um boi sem coração!
                                            A
Lá pras bandas de Ouro Fino levando gado selvagem
                                          D
quando passo na porteira até vejo a sua imagem
                                           A
O seu rangido tão triste mais parece uma mensagem
                                            D
Daquele rosto trigueiro desejando-me boa viagem.
                                          A
A cruzinha no estradão do pensamento não sai
                                          D
Eu já fiz um juramento que não esqueço jamais
                                              A
Nem que o meu gado estoure, e eu precise ir atrás
                                            D
Neste pedaço de chão berrante eu não toco mais.
    Composição: Teddy Vieira / LuizinhoColaboração e revisão:
    • verissimus
    • phssr7

    Comentários 9

    140 .
    • Felipe Felipe: Em 05/07/2015 23:42

      muito bom

    • cron.matheus cron.matheus: Em 11/11/2013 19:28

      Ritmo: Baixo, Baixo, Cima, Abafa

    • cron.matheus cron.matheus: Em 09/11/2013 20:49

      Pro povo q tá perguntando o ritmo, eu vi um cover e entendi que: Baixo, Baixo, Cima, Abafa.

    • eduardo eduardo: Em 25/09/2013 20:51

      Eu Pego ela Facil so q Tipo,Nao sei o ritmo dela
      Ajuda ai

    • marcus.guedes.507 marcus.guedes.507: Em 28/08/2013 19:07

      qual é o ritmo ?

    • pedrp304 pedrp304: Em 18/03/2012 20:22

      É FÁCIL A MÚSICA. MAIS AÍ TÁ ERRADO OS ACORDES CERTOS SÃO LÁ MI E RÉ PONDO CAPOTRAS NO LUGAR DEZEJAVEL

    • caroltimao caroltimao: Em 05/06/2011 11:29

      nao consegui tocar

    • hild hild: Em 25/04/2011 16:37

      ainda ñ consegui tocar

      • eduardo eduardo: Em 25/09/2013 20:51

        é pq ta sem ritmo Eles n ensinaram Mo raiva ,se Coloca a musica ,pelo menos Coloca o Ritmo em baixo da Intro

    140 cancelar
    0:00 / 0:00

    Capítulos

      2 versões de baixo exibições contribuição e correção
      1 versão de gaita exibições contribuição e correção
      1 versão de partiturasformatodownloadscontribuição
      play/pausefechar subir/descer velocidade
      6ª corda E5ª corda A4ª corda D3ª corda G2ª corda B1ª corda E
        acordes
        publicidad
        fechar
        ok