Cifra Club

Palhetada alternada: o que é e como treinar

John Petrucci executa técnica da palhetada alternada, durante show do Dream Theater
O guitarrista John Petrucci é um dos músicos mais adeptos da técnica palhetada alternada (Foto/Divulgação)

A palhetada alternada costuma ser o “calcanhar de Aquiles”, ou seja, o ponto fraco, de muitos guitarristas. Parte da “culpa” desse perrengue todo reside no imediatismo. Afinal de contas, todos nós queremos resultados e acabamos nos esquecendo que o desenvolvimento de uma técnica requer foco, persistência, paciência, entre outros fundamentos. 

Todavia, trago boas novas! Este post reúne os 6 melhores exercícios para colocar a sua palhetada alternada em dia. À sua disposição, ao longo desta nossa conversa, você terá tablaturas, backing tracks e vídeos. Só não vai treinar quem realmente não quiser, concorda?

Prepare aí a sua guitarra, separe suas palhetas e vamos aos treinos!

O que é palhetada alternada

A palhetada alternada é uma técnica aplicada a diversos instrumentos de corda, incluindo guitarra elétrica, bandolim, cavaquinho, violão entre outros. Indispensável para qualquer guitarrista de todos os níveis, essa técnica tem como entusiastas músicos do gabarito de John Petrucci, do Dream Theater; Steve Morse, do Deep Purple; Yngwie Malmsteen, o mestre do virtuosismo; e Eddie Van Halen, o guitar hero que dispensa qualquer apresentação. Portanto, esse fundamento é dominado pela maior parte dos caras que são inspirações para a galera das cordas. 

Confira a seguir o vídeo de Through The Fire And Flames, do DragonForce, uma música toda trabalhada na palhetada alternada:

Em síntese, podemos dizer que a palhetada alternada consiste em utilizar uma palheta sempre fazendo movimentos alternados, ou seja, para cima e para baixo. Além disso, precisamos entender que essa técnica pode ser usado em riffs, licks e solos. Nesse sentido, sua aplicabilidade nunca será limitada!

Por fim, vale ressaltar que a palhetada alternada economiza movimentos e dá mais agilidade ao instrumentista. Essa liberdade, contudo, não tem a função de fazer de você um guitarrista mais veloz. Afinal de contas, essa técnica também pode e deve ser utilizada em execuções com andamentos mais lentos.

Agora que já conversamos sobre esse conceito, que tal partimos para o lado prático da coisa?

Como treinar palhetada alternada?

Este post voltado para guitarristas que estão no nível intermediário, bem como para os que querem dar um gás e subir na hierarquia de aprendizado. Em outras palavras, os exercícios propostos aqui estão ao seu alcance, desde que você tenha foco, direcionamento e persistência.

Antes de tudo, escolha bem qual tipo de palheta você vai usar! O ideal é uma palheta que seja firme, ou seja, as com espessura entre de 0,7mm e 1 mm. O importante é que ela não dobre durante a execução da técnica. Em contrapartida, você deve evitar as palhetas muito grossas, pois, elas tendem a passar raspando pela corda e, consequentemente, não executam o som de maneira precisa.

A palhetada alternada deve ser executada com palhetas mais firmes
A escolha da palheta certa é fundamental para a execução correta e confortável dessa técnica (Foto/Pexels)

Na primeira parte faremos dois exercícios de pura prática da palhetada alternada. Para isso, nós vamos segurar as cordas da guitarra sem apertar nenhuma casa, deixando o som preso. Posteriormente, em outro post, nós iremos praticar a palhetada alternada, bem como os movimentos da mão esquerda.

Junto desse material está disponível um arquivo de áudio de cada exercício sendo tocado em um andamento lento e um andamento mais rápido. Tente seguir cada exercício da forma como é ilustrado no áudio. É importante também frisar que você deve treinar com auxílio de um metrônomo.

Exercício I

Vamos dividir esse exercício em quatro partes. O importante aqui é segurar as cordas da guitarra, sem apertá-las em nenhuma casa. Reproduza as sequências abaixo utilizando a palhetada alternada.

  •  Treine fazendo uma palhetada em cada corda. Atenção quando chegar na primeira corda, pois a direção da palhetada sempre será alternada.

Agora, ouça o exercício no andamento mais lento:

Viu só como é tranquilo? A seguir, você confere o andamento mais acelerado do mesmo exercício.

A segunda parte desse exercício pode parecer um pouco mais complicada. Fique bem atento aos detalhes abaixo:

  • Duas palhetadas em cada corda, sempre começando com a palhetada para baixo quando mudar de corda.
Tablatura para fazer exercícios de palhetada alternada

Ouça, então, a execução do exercício nas velocidades lenta e acelerada, respectivamente.

Se a execução exercício anterior estiver bem feita, chegou a hora de treinar a terceira parte.

  • Treine palhetando três vezes em cada corda. Esse tipo de exercício exige uma atenção maior para que na hora de trocar de corda você não repita o movimento anterior.

Para orientar a execução, ouça atentamente os áudios abaixo. Primeiro, temos o andamento lento e, na sequência, partimos para o andamento mais rápido.

Para executar a quarta e última parte desse exercício, você precisa de muita concentração. Respire, se acalme e não deixe a ansiedade tomar conta. Veja bem:

  • Treine palhetando quatro vezes em cada corda. A partir de um certo andamento esse exercício vai exigir uma velocidade maior.

Abaixo, você pode dar play nos áudios relacionados à essa fase do nosso primeiro exercício de palhetada alternada.

Conforme você percebeu, o grau de dificuldade só aumenta. “No pain, no gain”! Não desanime! Depois que dominar o Exercício I, siga para a fase abaixo.

Exercício II

Mantendo o padrão do que foi treinado no Exercício I, vamos utilizar o salto entre as cordas na construção dos padrões do Exercício II. O salto de cordas dificulta um pouco a mobilidade da mão direita com o sincronismo da palhetada. Logo, os exercícios a seguir devem ser treinados da mesma forma e no mesmo andamento dos anteriores. Para facilitar o aprendizado, propomos nova divisão do que será treinado.

  • Treine o salto de cordas mantendo um “pedal” na sexta corda com duas palhetadas alternadas e depois palhete uma corda por vez até chegar na primeira corda. As palhetadas nas demais cordas sempre serão alternadas.

Para conduzir a execução da tab acima, dê play nos áudios abaixo:

Bem sossegado, né? Agora, observe como será a próxima etapa do exercício:

  • O salto de cordas agora é feito com um pedal na sexta corda de três palhetadas. Todos os saltos serão palhetados para cima.

Muito cuidado com o próximo recorte do exercício! Ele é um pouquinho mais difícil, mas nunca impossível.

  • Temos acima uma execução de salto de cordas com progressão de quatro palhetadas por corda.

Ouça e treine nos dois andamentos!

Para finalizar o Exercício II, vamos dar um plus na etapa anterior. Observe a imagem abaixo.

  • Temos salto de cordas com progressão de quatro palhetadas por corda.

Calma! Não é complexo! Além do mais, a seguir você encontra o recurso para nortear a execução.

Se você chegou até aqui, saiba que conseguiu cumprir os dois primeiros exercícios de palhetada alternada. Agora, o ideal é recapitular essas lições e treinar até conseguir executar esses fundamentos com eficiência.

Mais exercícios de palhetada alternada

Esses tipos de exercícios podem ser vistos como aquecimento. Nesse sentido, é importante treiná-los diariamente.

Nesta primeira parte do estudo sobre palhetada alternada, conferimos exercícios que trabalham exclusivamente a mão direita – ou a mão que faz a batida. No próximo post, vou te aplicar mais fundamentos que envolvem as duas mãos. Seja como for, você terá conteúdo suficiente para desenvolver a execução essa técnica de guitarra tão fundamental. Te vejo lá?!

Ah! E não se esqueça de compartilhar o link deste post, sempre marcando a galera que quer evoluir cada vez mais nos instrumentos de cordas.

Leia também

Ver mais posts

Cifra Club Pro

Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
Cifra Club Pro
Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
OK