Cifra Club

As melhores músicas de Raul Seixas para você tocar hoje

No texto de hoje, vamos falar sobre as melhores músicas de Raul Seixas e você vai aprender como tocar todas elas!

Raul Seixas segurando um violão coçando a cabeça
O lendário Raul com seu violão (Foto/Reprodução/Internet)

As músicas de Raul Seixas misturam orquestra, cítara indiana, viola caipira, pandeiro e pedal-steel. Porém, talvez a simplicidade seja o que faz essas canções serem atemporais, verdadeiras obras-primas que encantam gerações a fio em qualquer canto do país.

Isso porque, quando elas são interpretadas no violão nu e cru, é que percebemos como essas composições não precisam de nada complexo para serem universais.

Saiba como tocar 15 músicas do Raul!

Listamos 15 joias da carreira de Raul Rock Seixas para você se deliciar e animar qualquer rodinha, sarau ou palco. Como todo bom rock, são canções fáceis de tocar: acordes naturais, ritmo intuitivo e tudo mais. Mas, além disso, os clássicos de Raul exigem energia e personalidade.

Se liga só nessa lista:

  • Metamorfose Ambulante
  • Al Capone
  • Ouro De Tolo
  • Gita
  • Sociedade Alternativa
  • O Trem das 7
  • Tente Outra Vez
  • Tu És O MDC Da Minha Vida
  • Eu Nasci Há 10 Mil Anos Atrás
  • Como Vovó Já Dizia (Óculos Escuros)
  • O Dia Em Que A Terra Parou
  • Maluco beleza
  • Abre-Te Sésamo
  • Aluga-se
  • Cowboy Fora Da Lei

Confira, então, nossas dicas, embarque nesse Plunct Plact Zum e venha aprender a tocar as melhores músicas do Raul Seixas!

Metamorfose Ambulante

A linda melodia da introdução de Metamorfose Ambulante pode sim ser feita em apenas um violão! Mas, nessa hora, você pode dispensar a palheta. Use o polegar nas notas graves em cordas soltas: A, G, D e E. Com o indicador, você puxa o solo, que começa na Mizinha na 12ª casa. Em seguida, vem aquele turn-around no C#m, Bm e A, e então começa a sequência que carrega toda a música: G, D, A.

Atenção para a ponte da primeira para a segunda estrofe, que tem um tempo meio quebradinho. Ademais, atenção para a ponte: quando estiver fazendo os acordes centrais (G, D e A) depois do G, ao invés de fazer o D, você vai para o Bb e cai na sequência A, F, C, D e C.

Al Capone

Em Al Capone, vale manter o ritmo irresistível do rock clássico, atacando o E7 junto com a Mizona solta. Claro que você vai querer fazer aquele arpejo sensacional antes do primeiro refrão. Para isso, é só seguir a nossa tablatura.

Nos versos, o Eb7 seguido do E, naquela arrastadinha característica de pilares do rock’n’roll, é como Jailhouse Rock, do Elvis. Quando tocar essa sequência, deixe soar o acorde. Se quiser marcar o ritmo enquanto canta os versos, vale bater nas cordas abafadas!

Ouro De Tolo

Nessa joia atualíssima, que fecha seu disco de estreia solo, o canto “dylanesco“de Raul deve ser o destaque. Por isso, capriche na mão do ritmo. É uma balada bem folk, de tempo quadrado, suficiente para embalar a letra, que é o carro-chefe de Ouro de Tolo. Cuidado para ela não ficar lenta, já que tem o andamento repetitivo.

Pelo mesmo motivo, procure acompanhar, com dinâmica, os climas da música. A estrofe mais leve, vá subindo emocionalmente até o refrão, com uma pegada mais forte. Em canções inspiradoras como as de Raul, essas questões importam, e muito!

Gita

Sim, é possível transpor para o violão esse arranjo majestoso executado por 62 músicos! Gita começa leve, na típica batida 1 para cima, 1 para baixo. Novamente, a dinâmica é importante para a intenção da música.

Então, procure dar uma interpretação cheia de feeling ao longo dos 6 acordes que compõem esse clássico. E não se esqueça de convidar os amigos para fazerem o coro junto: “Gita, gita, gita, gita, gita”!

Sociedade Alternativa

Além de muita presença para fazer sua plateia cantar com você o clássico refrão de Sociedade alternativa, você vai precisar de alguns recursos. Entre os ataques nos tempos 1 e 2 do refrão, o 3 e o 4 contam apenas com a marcação da bateria. Sugestão: bata no tampo do violão ou ataque com palhetadas percussivas as cordas abafadas.

Ademais, a estrofe da música tem a batida de balada, nos acordes C, G e E.

O Trem das 7

Se você tiver um violão de 12 cordas para dar um gostinho da viola caipira, seus ouvintes vão adorar! É porque O Trem das 7 tem um sabor meio sertanejo mesmo, como muita coisa que Raul fazia.

Na versão mais conhecida, do disco Gita (1974), ela começa com um dedilhado que lembra Ticket To Ride, dos Beatles. Nesse momento, mantenha a fôrma do A9 e dedilhe as cordas nessa ordem: Lá, Sol, Si, Mi, Sol e Si.

Tente Outra Vez

Um dos melhores começos de álbum do rock brasileiro, a primeira faixa de Novo Aeon (1975) não tem segredo, nem na harmonia, nem no ritmo. Tente Outra Vez traz a clássica batida 1 para cima, 1 para baixo. Atenção para o refrão, em que você pode manter o acorde C e ir caindo apenas a corda grave: do C vai para B, depois A, antes de fazer o acorde G cheio.

Lembre-se também de acrescentar a sétima a esse G antes da estrofe especial (“levante a sua mão sedenta…”). Essa parte abre com um dedilhado no C, feito nas primeiras notas do acorde: C, E, G – usando as cordas Lá, Ré e Sol.

Tu És O MDC Da Minha Vida

Para fazer jus a esse delicioso pastiche brega, será necessário colocar em ação o famoso “chacundum” no violão. Ela mesma, a batida em 4 tempos, marca do violão brasileiro!

Em Tu És O MDC Da Minha Vida, você vai ficar 2 tempos em cada acorde. São 7 ao todo. Nas estrofes, são os acordes Am, Dm, F e E7 e, no refrão, A, F#m, Bm7, D e E7.

Eu Nasci Há 10 Mil Anos Atrás

Dois soquinhos com a mão fechada e um com a mão aberta no tampo da violão já vão empolgar todo mundo! O começo de Eu Nasci Há 10 Mil Anos Atrás é reconhecível de longe. Afinal de contas, ela é, sem dúvidas, uma das melhores músicas de Raul Seixas!

Duas dicas importantes: no refrão, composto pelos acordes A, D e E, tente puxar aquele fraseado enquanto mantém o A. Você segura o acorde na 2ª casa e, ao mesmo tempo, faz a melodia. Fica assim: A (corda Lá solta), C# (corda Lá, 4ª casa), E (corda Ré, 2ª casa), F# (corda Ré, 4ª casa) e E (corda Ré, 2ª casa). 

Nas estrofes, é legal atacar os acordes (D, A, F#m, B, E e A7) no contratempo. Esse truque é a cara rítmica da canção!

Como Vovó Já Dizia (Óculos Escuros)

Para compensar no violão a ausência da cozinha (baixo + batera) matadora desse sucesso, você vai ter que se virar! Aliás, baixo e bateria sempre deram show nas canções do Raul, não acha?

O segredo para interpretar Como Vovó Já Dizia (Óculos Escuros) no violão é a batida rock. Nos tempos 1 e 3, ataque duplo na Mizona solta; nos tempos 2 e 4, palhetada no acorde E7! No refrão, os acordes A e B, fechando com o C#m. Atenção também para o shape de e a arrastadinha do C#m para o B7.

O dia em que a terra parou

Por mais que as batidas sejam fáceis, essas irresistíveis histórias cantadas do Raul precisam de uma base instrumental bem dinâmica. Pegue leve quando for para sussurrar a letra e suba gradualmente, soltando a mão com vontade no épico refrão!

A rápida troca de acordes que vão e voltam em O Dia Em Que A Terra Parou podem confundir. Por isso, treine bastante a sequência das estrofes: D, G, D, G, D, A e D.

Maluco beleza

Esse hino não pode ficar de fora! Vale a pena fazer a melodia da introdução, originalmente feita na guitarra. A harmonia de Maluco beleza é um passeio pela escala de Dó: C, G/B, Am, F, G, C, F.

Na ponte antes do refrão, é legal deixar os acordes Dm e G soarem. Finalmente, o refrão merece muita pegada, para todo mundo cantar junto ao som dos shapes de C, E, F e G!

Abre-Te Sésamo

Aqui, você vai se divertir com a mudança do ritmo entre estrofe e refrão. Na primeira, é fundamental fazer o riff insinuante que marca o andamento, nas notas Lá, Lá (na oitava acima), Ré e Mi.

Quando ela cai para o E, o tema continua, mudando o tom: Mi, Mi (na oitava acima), Lá e Si. O refrão transforma Abre-Te Sésamo no tradicional e animado “Rock Raul Seixista”. Destaque para o ataque de acordes no verso que dá nome à canção: D, D/C#, B e A.

Aluga-Se

Você deve estar notando que as canções do Raul são verdadeiras aulas de rock’n’roll. Frases, riffs e padrões melódicos, harmônicos e rítmicos consagrados na estrutura desse estilo estão presentes nos grandes clássicos do baiano.

Aluga-Se é marcada pelo lick com as notas Fá sustenido, Sol, Lá bemol e Lá. Uma característica dessa música é fazer o riff e cantar um verso. E, no refrão, a batida blues-rock de 4 tempos, nos acordes G, C, F, C, Bb, F, Bb e E.

Cowboy Fora Da Lei

Além de rock, baião, soul e sertanejo, Raul Seixas também passeou pelo country, claro. Cowboy Fora Da Lei é um bom exemplo disso! A batida marca a nota tônica logo na cabeça do compasso, acentuando o acorde nos tempos 2 e 4.

Mantendo esse ritmo, você vai se sentir em um saloon do Velho Oeste! A mudança de acordes é relativamente rápida. Por isso, tente ser preciso nessa troca para dar a esse hit o clima que ele merece!

Curtiu nossa viagem pelas melhores músicas de Raul Seixas? Certamente sua plateia vai adorar também! Na rodinha de amigos ou com a sua banda, esse repertório é altamente contagiante. Compartilhe essas dicas com outros malucos-beleza e toque, cante, divirta-se e faz o que tu quiseres, pois é tudo da lei!

Leia também

Ver mais posts

Cifra Club Pro

Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
Cifra Club Pro
Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
OK