Cifra Club

O melhor do rock nacional dos anos 70

A década de 1970 deixou algumas das heranças mais valiosas da cultura popular brasileira. Político, corajoso e resistente, o rock nacional dos anos 70 floresceu, apesar da repressão na época. 

Capa do disco Jack o Estripador, da Made in Brazil, banda de rock nacional dos anos 70
Cores, visual glam, excentricidades e muito rock and roll “Made in Brazil” (Imagem/Divulgação)

As letras, compostas em meio às condições sociais e políticas brasileiras, ditaram a identidade do rock tupiniquim e inspiraram tudo que foi produzido nas décadas seguintes.

Como era o rock nacional dos anos 70?

O forte movimento do gênero e seus subgêneros estava tomando força em todo o mundo. No Brasil, as canções originais e provocativas celebravam a ideologia de muitos jovens que se viam do lado oposto à ditadura militar.

Secos & Molhados, banda essencial do rock nacional dos anos 70
Formação clássica do trio Secos & Molhados gravou somente dois discos, mas moldou toda uma geração (Foto/Divulgação)

Contudo, não pense que os artistas nacionais se contentaram em somente reproduzir o som que rolava na gringa. Em outras palavras, nossos gênios se preocuparam em imprimir brasilidade no som e, felizmente, algumas referências regionais.

Dessa forma, a voz de Secos & Molhados, Rita Lee, claro, Raul Seixas, construíram um movimento que vai além da própria música. 

7 melhores artistas do rock nacional dos anos 70

Entre os diversos –  e incríveis – artistas surgidos na década de 70, destacamos alguns que tiveram um papel crucial na disseminação do gênero. 

1. Raul Seixas

Verdadeiro ícone do rock nacional dos anos 70, Raul não se limitava apenas ao gênero. Ousado, transitou entre o baião, o brega e outros, sem nunca deixar a sua assinatura passar despercebida. Nesse sentido, a figura excêntrica desafiava todas as questões dignas de discussão: de política e religião à vida extraterrestre, assuntos tratados em sua obra. Muito de sua filosofia veio, inclusive, de sua lendária e polêmica parceria com o autor Paulo Coelho (O Alquimista).

Raul Seixas era um ponto fora da curva e sua arte não poderia ser diferente. Apesar das letras carregadas de simbologia, se fez ser entendido muito bem pela maioria, a classe trabalhadora. Em outras palavras, ninguém conseguia ignorar a presença forte do Maluco Beleza, da Metamorfose Ambulante

O artista nos deixou cedo, muito antes de estarmos preparados para tal. Sendo assim, a sua obra não é tão extensa quanto a de outros ícones da cultura brasileira, mas prova a qualidade de suas composições e ideologias.

2. Secos & Molhados

A banda que revelou Ney Matogrosso ao Brasil teve um curto período de atividade em sua icônica primeira formação. Entre idas, vindas e mudanças, esteve nos palcos até 2012.

Primeiramente, o trio original se destacou pelas letras poéticas e a performance teatral, promovendo uma imersão cultural em seus shows ao vivo. Inspirados pela androginia de David Bowie e o pós-tropicalismo, produziram uma sonoridade que não podia ser chamada totalmente de rock, de pop ou MPB. Felizmente, a história os guardou para que pudéssemos, hoje, ver a sua obra inspirando novos artistas.

Aprenda a tocar Sangue Latino, sucesso do primeiro álbum da banda, de nível intermediário e com sete acordes.

3. Made in Brazil

Um verdadeiro celeiro de músicos, Made in Brazil já teve mais de 200 formações e continua ativa, sendo uma das bandas mais longevas do país. A versatilidade do grupo é até mesmo reconhecida pelo Guinness, porém, não é isso que prova a tremenda qualidade do som que produzem há mais de 50 anos.

Aliás, a banda ainda ousou trazer colaboradores para apresentações pontuais que iam de Ney Matogrosso à Escola de Samba Mocidade Alegre da Casa Verde. Com bastante resistência, blues e rock and roll, até então, a banda possui 14 discos lançados e muita – muita mesmo! – história pra contar.

Aprenda a tocar Minha Vida é o Rock’N’Roll, o hino da Made in Brazil. Você vai usar três acordes maiores e muito humor para interpretá-la!

4. Vímana – o embrião do BRock no rock nacional dos anos 70

A Vímana, formada por ex-integrantes da Veludo e da Módulo 1000, pode ser creditada como uma das mais importantes da época. Sua formação mais conhecida conta também com o músico Lobão e Ritchie. A causa de seu fim foi o desentendimento entre o ex-Yes, Patrick Moraz e Lulu Santos, que acabou expulso antes do barco afundar de vez.

Trazendo o teor experimental das bandas anteriores de seus integrantes, o grupo produziu um som instrumentalmente forte. Por fim, com apenas um trabalho de estúdio gravado, a sua história ficou marcada com um sabor de “quero mais”.

5. Casa das Máquinas

Lá em 1974, em seu primeiro álbum, a Casa das Máquinas unia teatralidade, peso instrumental e uma dança entre o hard rock e o progressivo. Ainda ativa, sobreviveu ao hiato de três décadas para continuar a disseminação de seu legado nos palcos.

Aprenda a tocar Casa de Rock, faixa-título do álbum de 1976, que defende o gênero como a solução para o autoritarismo político da época, brindando à rebeldia dos opositores do governo.

6. O Terço – veia progressiva no rock nacional dos anos 70

Importantíssima expoente do gênero, a música d’O Terço vinha, principalmente, da visão progressiva de Pink Floyd, Genesis e semelhantes. A banda lançou 5 álbuns de estúdio na década de 70, sempre explorando referências do rock anos 50/60, música clássica, folk e rock rural. 

Em suma, entre diversas formações, aventuras no mercado internacional, idas e vindas, a banda está ativa até hoje, em 2021. Entre as feras que passaram pela banda estão os multi-instrumentistas Flávio Venturini e Vinícius Cantuária, bem como o guitar hero Ségio Hinds. Sua obra se traduz entre várias canções como, por exemplo, Criaturas da Noite , Casa Encantada e Hey Amigo.

7. Novos Baianos

Por fim, os Novos Baianos, conhecidos pela famosa mistura de samba, rock, baião, bossa-nova e mais gêneros, que mudaram a MPB. Nomeados em referência a Gil e Caetano, se juntaram em 1969, porém, foi no ano seguinte que a banda aconteceu. Entre seus integrantes, destaque para Moraes Moreira, Baby Consuelo e Pepeu Gomes, músicos de extrema expressão no cenário nacional.

Na psicodelia do primeiro disco, Ferro na Boneca, a banda usou de analogias para burlar a censura da ditadura militar. Em seguida, usando sempre de humor e vocabulário amplo, Novos Baianos compôs aquele que seria creditado como o maior disco da história da música brasileira.

Em sua história, Novos Baianos experimentou de tudo e entregou os mais diversos sabores para a cultura nacional. Dessa forma, não podemos deixar de trazê-los para a lista das bandas influentes do rock nacional dos anos 70.

Outras forças do rock nacional dos anos 70

Em síntese, o rock nacional dos anos 70 constitui uma das heranças mais ricas, diversas e ousadas da música brasileira. A nossa lista possui apenas sete nomes, mas não podemos fechar esse artigo sem fazer uma menção honrosa às outras bandas que contribuíram para o cenário.

Moto Perpétuo, Som Imaginário, A Bolha!, Som Nosso de Cada Dia, Joelho de Porco, Tutti Frutti, O Peso, entre outras, também ajudaram a pavimentar a estrada que conhecemos. A elas, fica o nosso eterno obrigado.

Curtiu o texto e quer ajudar a manter viva a memória do rock nacional dos anos 70? Compartilhe o texto com os amigos e aprenda as cifras das bandas!

Leia também

Ver mais posts

Cifra Club Pro

Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
Cifra Club Pro
Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
OK