Cifra Club

Aprenda

Reek Of Putrefaction

Carcass

Fedor de Putrefação

Letra

Snorting the stench of latent effluvium
And maturing damp fumes
This foul menage forces tears to your eyes
As the corpse's gas are exhumed
Intoxicated by foul body odours
And the nauseating tepid whiff
Pinching your nostrils as you irrigate flatus
From the emaciated stiff

Volatile entrails fume and steam
As they're meticulously hacked during discission
Evaporating sludge and bubbling pus
A rotten gaseous expiration

Maturating corpse, the stale smell of decay and rot
A sickening asphyxiation
Gross remains gush, innards turn to sludge
With partial liquefaction

Smell the rot
Of the corrupted corpse
Hallucinogenic trip

Tissue gases leak
A warm, unpleasant reek
A quite macabre addiction
Deteriorated, bloated corpse
Decomposure burning hot
Sniff the smell of carrion

Inhaling the dank smells
As you gouge out the dripping innards with glee
Succumbling to a translucid state
As you sniff the aroma of necropsy
Bacterial decomposition
The aroma of larval infestation
Consuming, ripening slime
As the cadaver is slowly wasting

Your sore sinews rot, blood curdling coughs
As acrid foetor corrodes your lungs
Body orifices clenched in your teeth
As you frenziedly try to insert the bungs

Swollen, ripened corpse, the stench of crusting clots
The smell of stale perspiration
Administering watery gore, you're screaming out for more
Addicted to putrefaction

Snort the corpse
Get high on the rot
Orgasmic rush
Turns your brains to pus

Fungando o fedor de eflúvio latente
E vapores úmidos supurando
Essa menagem imunda força lágrimas nos seus olhos
Enquanto os gases do cadáver são exumados
Intoxicado por odores do corpo putrefato
E o o bafo morno nauseante
Beliscando suas narinas enquanto você irriga flatos
Do cadáver emanciado

Entranhas voláteis exalam e fumegam
Enquanto são retalhadas meticulosamente durante discissão
Lodo evaporando e pus borbulhando
Uma expiração gasosa podre

Cadáver supurando, o cheiro bolorento do decaído e podre
Um asfixiamento doentio
Restos brutos transbordam, entranhas viram mofo
Com liquefação parcial

Cheire o podre
Do cadáver corrompido
Viagem alucinogênica

Gases do tecido vazam
Um cheiro quente e desagradável
Um vício bastante macabro
Deteriorado, cadáver inchado
Decomposição ardendo
Fungue o cheiro da carniça

Inalando os cheiros frios e úmidos
Enquanto você devora as entranhas gotejantes com alegria
Sucumbindo a um estado translúcido
Enquanto você funga o aroma de uma necrópsia
Decomposição bacteriana
O aroma de infestação larval
Consumindo, o lodo amadurecido
Enquanto o cadáver está apodrecendo vagarosamente

Os tendões de suas feridas apodrecem, tosses com coágulos
Enquanto fedor picante corrompe seus pulmões
Orifícios do corpo cerrados nos seus dentes
Enquanto você freneticamente tenta inserir o colarinho

Inchado, cadáver podre, o fedor de coágulos encrostantes
O cheiro de perspiração bolorenta
Administrando gore aquoso, você está pedindo por mais
Viciado em putrefação

Fungue o cadáver
Fique doidão com o podre
Precipitação orgásmica
Transforma seus miolos em pus

Colaboração e revisão:
  • Daniela Akemi
  • Ícaro Allysson

0 comentários

Mostrar mais comentários
00:00 / 00:00
outros vídeos desta música
repetir qualidade Automático
Outros vídeos desta música
00:00 / 00:00
Automático

Cifra Club Pro

Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
7 dias grátis
Cifra Club Pro
Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
7 dias grátis
OK