Cifra Club

Aprenda

Dante's Inferno

Iced Earth

O Inferno de Dante

Letra

Through the fiery caverns we sail
Virgil at my side my guide and master
Questing through the nine plains of hell
Infernal wisdom shall fill my soul
Slowly now the days departing
The darkened air releases me
Frightening visions of my journey
Entrance me to limbo
I'm not free

Abandon all hope who enter here
Enter the gates, Charon awaits

Abandon all hope who enter here
For this is where all things are left behind
Every doubt and every cowardice must die
Souls of rage and anger whipping in despair

The souls that wail on this plain pray for death
Denial is the reason for their suffering
Forever being stung by wasps and demons breath
The blood and tears that fall serve the maggots need

Descention, thrusting to the second plain
Minos judges as his tail twines
Lustful thoughts and greed whip these wretched souls
A hurricane of hate mocks their helpless pleas

Drifting now down deeper, into eternal flames
Awake at the third circle, the cold and filthy rain
Punished for their gluttony, languid for all time
The earth it stinks of corpses, damned for all time
The vicious beast Cerebus, three heads, blooded eyes
Tears his talons through the air, all the sinners cry

Down, be still thy cursed wolf
The master scorns its name
Dive to the next plain
The sullen and the vain
Suffer for greed
The prodigal they bleed
For all eternity
Plutus holds the key

(Chanting - sounds like:)
(Zahnah..zantus snah mey..zeenah hotoh..zahnta nahnay)
(Zahnah..zantus snah mey..zeenah hotoh..zahnta nahnay)

Damned, the wrathful and the vain
Suffer the fifth plain
Cross the river Styx
Heed your crucifix
The mudded corpses cry
Howling to the sky
Reach the other side
Open wide the gate

(Chanting - sounds like:)
(Zahnah..zantus snah mey..zeenah hotoh..zahnta nahnay)
(Zahnah..zantus snah mey..zeenah hotoh..zahnta nahnay)

Enter the sixth circle of barren land and flames
Passing through the gate of dis the furies scream her name
Belching forth in agony invoking her to rise
The spirit's rage consuming us the evil in their cries
Queen of vipers, queen of serpents
Cast their souls to stone
Spread to wealth of Gorgon's power
Medusa's inner soul

We're drawing ever closer to the seventh hell
They violate their neighbors, their god and themselves
We're sailing slowly through the boiling river of blood
Immersed in the depths below souls scream in agony
The twisted beast he laughs, he draws his arrow back
His sights on anyone exposing of their flesh
He impales their hearts with ease
And shrugs their piercing screams
Pity is they'll never die
They'll suffer here eternally

(Chanting - sounds like:)
(Zime come sate dive)
(Zime come sate dive)
(Zime come sate dive)
(Zime come sate dive)

Lucifer, Natas, Mephisto, Natas, Naphime, Natas
Imagine a place where every horror comes to life
Where every torture is real and time stands still
Eight fiery steps and we're closer to the end

In a cold and timeless grave buried head first in shit
Praying all the while for a quick and painless death
Scratching furiously at scabbed and oozing wounds

Lucifer... angel of light
Cast below god of ice
Ruling hell unholy trinity
The traitors freeze for all eternity
Lucifer... betrayer of God
Tormentor ruthless and cold
Judas' screaming here in agony
The traitors freeze for all eternity

Pelas ardentes cavernas navegamos
Virgílio ao meu lado meu guia e mestre
Procurando as nove planícies do inferno
A sabedoria infernal deverá encher a minha alma
Vagarosamente os dias vão passando
A atmosfera enegrecida me liberta
Assustadoras visões de minha jornada
minha entrada no limbo
Não estou livre

Abandone toda a esperança aquele que aqui entrar
Entrando pelos portões, Caronte espera

Abandone toda a esperança aquele que aqui entrar
Por isso este é o lugar onde tudo é abandonado
Toda dúvida e covardia devem morrer
Os sentimentos de raiva e violência chicoteando desesperadamente

As almas que se lamentam nessa planície clamam por morte
A negação é a razão de seu sofrimento
Eternamente sendo picados por vespas e respiração de demônios
O sangue e as lágrimas que caem servem às necessidades das larvas

Descendo, navegando para a segunda planície
Minos julga como a sua cauda cortante
Os pensamentos luxuriosos e a ganância chicoteiam essas miseráveis almas
Um furacão de ódio imita as suas alegações indefesas

Deslizando agora descendo profundamente, nas chamas eternas
Acordo no terceiro ciclo, a chuva fria e suja
Punidos por sua gula, desnutridos para sempre
A terra cheira a corpos, condenados para sempre
A cruel besta Cerberus, três cabeças, olhos sangrentos
Dilacera suas garras no ar, todos os pecadores choram

Descendo, estão os amaldiçoados pelo lobo
O mestre despreza seu nome
Navego para a próxima planície
Os rabugentos e os vaidosos
Sofrem por ganância
Os pródigos sangram
Por toda a eternidade
Plutão segura a chave

(Canto repetitivo - soa como:)
(Zahnah... zantus snah mey... zeenah hotoh... zahnta nahnay)
(Zahnah... zantus snah mey... zeenah hotoh... zahnta nahnay)

Condenados, os furiosos e os vaidosos
Sofrem na quinta planície
Cruzo o rio Estige
Cuidado seu crucifixo
Os corpos enlamados choram
Gritando para o céu
Alcanço o outro lado
Os portões se abrem

(Canto repetitivo - soa como:)
(Zahnah..zantus snah mey..zeenah hotoh..zahnta nahnay)
(Zahnah..zantus snah mey..zeenah hotoh..zahnta nahnay)

Entro no sexto ciclo de terras inférteis e chamas
Passando pelos portões de Dite os furiosos gritam o seu nome
Vomitando em agonia invocando-a para aparecer
A raiva dos espíritos nos consumindo o mal em seus gritos
A rainha das víboras, a rainha das serpentes
Transformando suas almas em pedra
Expandindo os bens do poder da Górgona
A alma interior de Medusa

Estamos cada vez mais perto do sétimo inferno
Eles violaram seus próximos, seu deus e a si mesmos
Navegamos vagarosamente pelo borbulhante rio de sangue
Imersas nas profundezas almas gritam em agonia
A malvada besta ri, pega sua flecha
Sua vista em qualquer um expondo sua carne
Ele impala seus corações com facilidade
E não se importa com os seus gritos de dor
O pior é que eles nunca morrerão
Sofrerão aqui eternamente

(Canto repetitivo - soa como:)
(Zime come sate dive)
(Zime come sate dive)
(Zime come sate dive)
(Zime come sate dive)

Lúcifer, Natas, Mephisto, Natas, Baphomet, Natas, Asmodeus
Imagine um lugar onde cada horror vem à vida
Onde toda tortura é real e o tempo não passa
Oito passos ardentes e estaremos próximo do fim

Em uma fria e eterna sepultura enterrada até a cabeça em fezes
Clamando o tempo todo por uma morte rápida e sem dor
Coçando furiosamente as feridas escamosas e que escorrem

Lúcifer... Anjo de luz
Jogado para baixo, Deus do gelo
Governando o inferno, trindade profana
Os traidores congelam por toda a eternidade
Lúcifer... Traidor de Deus
Atormentador cruel e frio
Judas está gritando aqui em agonia
Os traidores congelam por toda a eternidade

Composição de Jon Schaffer
Colaboração e revisão:
  • Pedro Virgens

0 comentários

Ver todos os comentários
00:00 / 00:00
outros vídeos desta música
repetir qualidade Automático
Outros vídeos desta música
00:00 / 00:00
Automático

Cifra Club Pro

Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
Cifra Club Pro
Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
OK