Ressábios

Luiz Marenco

Composição de: Gujo Teixeira / Luiz Marenco
tom: D
(intro) ( Bm A G Bm A G D/F# Em D A )

--14--12--10---9--7--5--7--10------------7--10--(10)--
--15--14--12--10--8--7--8---8--7--8--10---------------
------------------------------------------------------
------------------------------------------------------
------------------------------------------------------
------------------------------------------------------

--14--12--10---9--7--5--7--10------------7--9--(10)---
--15--14--12--10--8--7--8---8--7--8--10---------------
------------------------------------------------------
------------------------------------------------------
------------------------------------------------------
------------------------------------------------------

--15--14--12--10--12--10--9--12-------------7--10--9--
-(15)-15--14--12--12--12--8-(10)--7--8--10------------
------------------------------------------------------
------------------------------------------------------
------------------------------------------------------
------------------------------------------------------

              D
Qualquer dia desses vou sentar a sombra
F#m
De um tarumã copado que eu mesmo plantei
Em                                    A
Repensar a vida cuidar meus ressábios
                                       D
E fazer com gosto as coisas que eu sei

Vou mandar embora tudo o que não serve
F#m
E largar pro campo os de lombo judiado
Em                                    A
Vou bater as brasas e apertar o mate
                                        D
Só pra ver de longe quem tá do meu lado

G                                    D
Quero ver se o tempo se acomoda um pouco
G                                    Bm
Porque falta um tempo pra eu chegar no fim
Em
Só cuido da vida e mesmo assim me perco
A                                     D7
O que dirão os outros que falam de mim

G                                    D
Quem sabe de mim sou eu mesmo e basta
G                                    Bm
Não bebo da água onde uns lavam a alma
Em
Nem espero as sobras pra matar minha fome
A
Porque faço tudo do meu jeito em calma

( Bm A G Bm A G D/F# Em D A )

            D
Pra quem é amigo eu alcanço um mate
F#m
Pra quem não é desses eu sirvo também
Em                                    A
Uns com jujos n'água pra matar a sede
                                       D
Outros bem amargo como me convém

Qualquer dia desses ainda me dou conta
F#m
Que ando cansando meu pingo do andar
Em                                    A
Porque sei que a estrada só se faz de rumos
                                        D
E quem sabe dele não vai nos contar

G                                    D
Quero ver se o tempo se acomoda um pouco
G                                    Bm
Porque falta um tempo pra eu chegar no fim
Em
Só cuido da vida e mesmo assim me perco
A                                     D7
O que dirão os outros que falam de mim

G                                    D
Quem sabe de mim sou eu mesmo e basta
G                                    Bm
Não bebo da água onde uns lavam a alma
Em
Nem espero as sobras pra matar minha fome
A
Porque faço tudo do meu jeito em calma
Em                       A          D
Porque faço tudo do meu jeito em calma
Página 1 / 1

Letras e título
Acordes e artista

resetar configurações
OK