Cifra Club

Um Punhado de Histórias Velhas

Ulisses Avelino

Cifra: Principal (violão e guitarra)
tom: A
[Intro] A  E

"Eae Ulisses, como você tá?"

A
Obrigado por perguntar, mas eu sinto mal
                                                    E
Omito minha dor interna pra buscar um bem-estar social
Sobrevivo no purgatório buscando um emprego qualquer
Mas sequer olham na minha cara quando eu respondo
              A
"De onde você é?"

D          E               F#m
Itaim Paulista, fundão da leste
        A              D               E         A
4 conduções e 3 baldeações pra ir e voltar da cidade
D            E                  F#m               A
Isso quando não falam "é desse jeito que você se veste?"
           D                  E            D           E       A
A velha camisa de banda e jaqueta jeans furada que entrega a idade

     A
Não posso nem rezar para que chova, pois senão alaga minha casa
Viver na perifa é ver qualquer clima meteorológico um problema
 E
Novo
Se faz sol demais frito feito bife no fogo em brasa
                                                     A     
Se faz frio, tem que ir colado para se esquentar no povo

    D          E           F#m                   A 
Lá fora o Bob Dylan é conhecido pelas suas storytellers
  D                      E                  D          E    
Aqui no Brasil é só mais um contando um punhado de histórias
 A
Velhas
  D           E                  F#m                   A
Sempre a sua luta é menor porque tem alguém que sofre mais que você
        D                 E                  D          E      A
É tipo competição de desgraça, pra porra do Datena colocar na TV

   D           E              F#m                A
E nem preciso falar sobre enquadro, racismo, machismo e homofobia
   D            E                               D      E       A
É tanta merda acontecendo que chegar ao fim do dia não é garantia
  D                   E                F#m         A 
Existem pessoas quem tem mais local de fala do que eu
            D      E       A
Afinal tem coisas que não sofri
      D                E                    F#m                A
Mas fingir que não me sobe o sangue quando vejo injustiça não dá
        D                 E                   A 
Puta que o pariu, vou te falar que eu não morri!

"Ai vem o dilema"

     A
Ser pop pra me encaixar no mercado ou fazer rock e passar necessidade?
                                          E
Fazer um disco pra minha turma e ser o herói sem alarde
Ou ser apenas uma voz lembrada pela escassez nessa polaridade escrota
                                                          A
Ter que se contentar com migalhas, sendo que eu e os meus amigos merecemos a torta toda

 D
(Porra!)
           E           F#m            A         D         E  
Ter que tirar da boca toda vez pra fazer acontecer minha arte é
 A
Foda!
   D               E            F#m                  A     
E ter que ser cordial quando reclamam da minha boca suja
  D    E      A
Sempre é uma merda!
    D             E          F#m      A         D     E      A
E querem que eu seja só mais um que abaixa a cabeça nesse caralho
   D               E           F#m     A      D    E         
E que sustente um bando de parasitas nesse sistema   filha da
 A
Puta!

     A
Mas não!
                     E                           D            
Minha luta é muito maior do que minhas cordas vocais
          E       A 
E meus dedos calejados podem tocar
    A                        E                   D
Se ainda tiver algum injustiçado que quer me escutar
              E               A             E7
Eu vou ser a voz de quem não consegue falar

    A                  C#7
Afinal, eu sou como você que me ouve agora
          D                      E
Eu sou a lágrima que cai do teu rosto que chora
    A                    C#7
Eu sou o abandono do seu pai quando ele foi embora
            D                      E
Eu sou a espinha que no rosto dos jovens aflora

      A                            C#7
E no fim eu só quero ser perdoado por um erro que me fez crescer
D                            E
  Eu só quero preencher as lacunas e não perecer
        A                               C#7
Eu só quero ser amado por quem não me conhece e nem vai me conhecer
        D                                E
Eu só quero deixar de ser bobo e não precisar de nada disso pra viver

( A  C#7  D  E )
( A  C#7  D  E )

        D          E        F#m           A
Eu só quero agradecer por você me ouvir até aqui
  D              E                         D           E      A
Ainda me sinto bem mal, mas um pouco mais feliz por te ter aqui
Composição de Ulisses Avelino
Colaboração e revisão:
  • Ulisses Souza
1 exibições
    • ½ Tom
    • A
    • Bb
    • B
    • C
    • Db
    • D
    • Eb
    • E
    • F
    • F#
    • G
    • Ab
  • Adicionar à lista

    0 comentários

    Ver todos os comentários

    Conseguiu tocar?

    0 Tocaram 0 Ainda não

    Grave um vídeo tocando Um Punhado de Histórias Velhas e nos envie!

    00:00 / 00:00
    Outros vídeos desta música
    Repetir Qualidade Automático
    Outros vídeos desta música
    00:00 / 00:00
    Automático

    Cifra Club Pro

    Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
    Cifra Club Pro
    Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
    OK