João Luiz Corrêa

Um Bagual Corcoveador

53.397 exibições
Tom: E
(intro) E B7 E

                                          B7
A tropa vinha estendida pastando no corredor
                                        E
Eu empurrava culatra e também fazia fiador
                                             B7
Num bagual gordo e delgado arisco e corcoveador
                                                E
Que se assustava da estaca e da sombra do maneador

                                                B7
É brabo a vida de um taura que só trabalha de peão
                                           E
Nisso uma lebre dispara debaixo de um macegão
                                                 B7
Meu pingo só deu um coice escondendo a cara nas mãos
                                              E
Saiu sacudindo o toso e cravou o focinho no chão

         A                      E7         A
(Tentei levantar no freio mas era tarde demais
    B7            E       B7                E   E7
Eu vi uma poeira fina formando nuvens pra trás
       A                           E7         A
Berrando se foi a cerca e cruzou pro lado de lá
     B7         E             B7          E
Parecia uma tormenta cruzando em massambará)

(intro) E B7 E
                                               B7
Se enganchava nas esporas sobre a volta do pescoço
                                           E
Cortando couro em pêlo e tirando lascas de osso
                                            B7
Naquele inferno danado bombiei pra meu cebolão
                                        E
Regulava quatro e pico numa tarde de verão

(intro) E B7 E

   A                      E7         A
(Tentei levantar no freio mas era tarde demais
    B7            E       B7                E   E7
Eu vi uma poeira fina formando nuvens pra trás
       A                           E7         A
Berrando se foi a cerca e cruzou pro lado de lá
     B7         E             B7          E
Parecia uma tormenta cruzando em massambará)
                                            B7
Senti a força do vento me amarrando dos arreios
                                            E
E aquele bicho parecia que ia se rasgar no meio
                                            B7
Deixei manso e de confiança montaria de patrão
                                                  E
Pois honro o nome que carrego me orgulho de ser peão
        A                      E7         A
(Tentei levantar no freio mas era tarde demais
    B7            E       B7                E   E7
Eu vi uma poeira fina formando nuvens pra trás
       A                           E7         A
Berrando se foi a cerca e cruzou pro lado de lá
     B7         E             B7          E
Parecia uma tormenta cruzando em massambará)

(intro) E B7 E
    Composição: João SampaioColaboração e revisão:
    • Everton
    • jonatan_correa
    • seminarista

    Comentários 0

    conseguiu tocar?

    • fabricio.fontana.3194
    • Bruno

    covers

    Grave um vídeo tocando Um Bagual Corcoveador e mande pra gente!

    Ex.: http://www.youtube.com/watch?v=0IvSvIwGdwk
    ver covers de outras músicas »
    0:00 / 0:00

    Capítulos

      1 versão de violãodificuldadeexibiçõescontribuição e correção
      1 versão de guitarradificuldadeexibiçõescontribuição e correção
      1 versão de cavacodificuldadeexibiçõescontribuição e correção
      1 versão de tecladodificuldadeexibiçõescontribuição e correção
      play/pausefechar subir/descer velocidade
      6ª corda E5ª corda A4ª corda D3ª corda G2ª corda B1ª corda E
        acordes
        publicidad
        fechar
        ok