Eu

Paulo Tatit

Sem foto do Paulo Tatit Compositor: Paulo Tatit
Tom: A
		
A
Perguntei pra minha mãe
            D                A
- Mãe, onde é que você nasceu?
       D/F#    E/G#     A
Ela então me respondeu
       D/F#    E/G#     A
Que nasceu em Curitiba
       D/F#    E/G#     A       A7
Mas que sua mãe que é minha avó
 D
Era filha de um gaúcho
Que gostava de churrasco
E andava de bombacha
E trabalhava num rancho
       E
E um dia bem cedinho
       D
Foi caçar atrás do morro
         A
Quando ouviu alguém gritando
    E
- Socorro, socorro!
   A
Era uma voz de mulher
      D/F#  E/G#  A
Então o meu bisavô
      D/F#  E/G#  A
Um gaúcho destemido
      D/F#  E/G#  A
Foi correndo galopando
                     A7
Imaginando o inimigo
                  D
E chegando no ranchinho
Já entrou de supetão
Derrubando tudo em volta
Com o seu facão na mão
         E
Para o alívio da donzela
        D
Que apontava estupefata
         A
Para um saco de batata
       E
Onde havia uma barata
       A
E ele então se apaixonou
      D/F#  E/G#  A
E marcaram casamento
      D/F#     E/G#    A
Com churrasco e chimarrão
    D/F#   E/G#   A
E tiveram seus três filhos
                        A7
Minha avó e seus irmãos
      D
E eu fico imaginando
Fico mesmo intrigado
Se não fosse uma barata
Ninguém teria gritado
         E
Meu bisavô nada ouviria
         D
E seguiria na caçada
         A
Eu não teria bisavô, bisavó, avô, avó, pai, mãe
         E
Eu não teria nada
       A
Nem sequer existiria

   A
Perguntei para meu pai
            D             A
- Pai, onde é que você nasceu?
     G/A           A
Ele então me respondeu
     G/A           A 
Que nasceu lá em Recife
       G/A        A       A7
Mas seu pai que é meu avô
D      C/D         D
Era filho de um baiano
       C/D         D
Que viajava no sertão
       C/D         D
E vendia coisas como
Roupa, panela e sabão
          E
E que um dia foi caçado
       D
Pelo bando do Lampião
Que achava que ele era
       E
Da polícia, um espião
     A
E se fez a confusão
     G/A             A
E amarraram ele num pau
     G/A             A
Pra matar depois do almoço
     G/A        
E ele então desesperado
    A
Gritava "- Socorro!"
       C/D        D
E uma moça apareceu
       C/D        D
Bem no último instante
       C/D        D
E gritou para aquele bando
- Esse rapaz é comerciante!
         E
E com muita habilidade
         D
Ela desfêz a confusão
         A
E ele então deu-lhe um presente
       E
Um vestido de algodão
   A
E ela então se apaixonou
     D/F#  E/G#    A
Se aquela moça esperta
     D/F#  E/G#    A
Não tivesse ali passado
     D/F#  E/G#    A
Ou se não se apaixonasse
                     A7
Por aquele condenado
 D
Eu não teria bisavô
Nem bisavó nem avô
Nem avó nem pai
Pra casar com minha mãe
       E
Então eu não contaria
         D
Esta estória familiar
         A 
Pois eu nem existiria
      E
Pra poder cantar
        A
Nem pra tocar violão
11.184 exibições

Comentários 1

Composição: Paulo Tatit
Esse não é o compositor? Avise-nos.
Contribuição: gabzinha
Exibir acordes »
publicidade
fechar