Cifra Club

Aprenda

Enterrado Vivo

A286

Ainda não temos a cifra desta música.

Aqui é frio, gelado, escuro e apertado
Tem algo no ar de errado, caralho eu to sufocado
Meus olhos estão fechados, tento abrir, mas não consigo
Parece ser um sonho, devo ta dormindo
Eu sinto calafrio, medo, arrepio
Agonia, desespero, mó neurose puta que pariu
Não to sentindo as perna, agora o corpo gela
E cada minuto que passa o coração acelera
Ouço grito, choro, sussurro de consolo
E alguém no sufoco, inconformado pedindo socorro
Parece miragem, ilusão, filme de ficção
To vendo minha mãe, meus irmãos envolta do meu caixão
E uma pá de lembranças vem no pensamento
E eu não consigo entender os motivos pra tanto sofrimento
E o mundão não deixou opção pras minhas falhas
Sou eu por mim mesmo, se não viro caça e perco batalha
Infância maldita, vida sofrida, esperança traída
Se o certo é incerto de que lado tá a saída?
Não tem pra onde correr, nem tente se esconder
Ou você mata o mal, ou ele mata você
Porque aqui, sua vida é cobrada toda hora
E o tic tac do tempo conta derrotas e vitorias
Passaporte pro céu, pode vir, aqui tem!
E eu não escolho ninguém, vem com a cara e as de cem
Te dão alivio, salvação, mundo de paraíso
Mas depois de alguns segundos volta tudo do inicio
Magoua, depressão, posso fundo sem luz
Onde o céu vira inferno, nem tente agarrar a cruz
Eu to ligado, é mó embaçado viver nesse estado
Acuado, desempregado vivendo no couro mofado
Aluguel atrasado, irmão assassinado
Sem o básico, o minimo, mais um crucificado

Enterrado vivo

E quantas vezes eu precisei, implorei por um auxilio
Quantas vezes o destino me crivo de um sorriso
Me jogou na onde eu to, entre o ódio e o rancor
E amor só fico pra quem se iludi morô?
Mas que porra, querem um santo fudido e conformado,
Paciente esperando a morte num corredor lotado
Ou talvez, eu mesmo acabando com a sua cria
Morrendo na troca de tiros, deixando os pedaços pra pericia
E eu sei que é assim que o brasil quer me ver
Doente, inútil, faminto, cansado de viver
Saber que a felicidade existe, não me deixa feliz
Pra quem vive de desgraça, nada mais faz sorrir
Nada mais surpreende, nada me faz acreditar
Que amanha você ri, se o ontem fez chorar
Tipo a solidão e a fome, que maltrata e tortura
Bem pior que a dor de doença sem cura
Calma, da um tempo tenha fé esperança,
Mas como se aqui o demônio virou brinquedo de criança?
Enquanto você ri, seu semelhante chora
Enquanto você reclama, seu semelhante implora
Ta ruim, ta ruim? Então, dá que é bom pra mim!
Pra quem viveu a onde você vê, não resiste ao próprio fim
Não da pra suportar, não da mais pra aguentar
Eu quero respirar, poder voltar pra lá
E sentir, desfrutar do prazer de amar
Mas o tempo fechou e sol não vai brilhar
Eu to fraco, aflito, anêmico e raquítico
Sofrendo ao relento com papelão e um saco de lixo
Jogado em qualquer praça, tendo um ataque de convulsão
Esperando que o filho da puta tenha dó e compaixão
Corpo, mente, coração, nada mais tem sentido
Quando se acorda e vê que ta enterrado vivo!

Enterrado vivo, enterrado vivo

Composição de Ivan
Colaboração e revisão:
  • Gustavo Braga

0 comentários

Ver todos os comentários
00:00 / 00:00
Outros vídeos desta música
Repetir Qualidade Automático
Outros vídeos desta música
00:00 / 00:00
Automático

Cifra Club Pro

Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
Cifra Club Pro
Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
OK