Cifra Club

Tipos de microfone para cantar, tocar e gravar!

Não faltam tipos de microfone para músicos de todas as vertentes usarem. Aliás, não se restringem nem mesmo só à música: o aparelho ideal pode ser utilizado na produção de podcasts, por exemplo.

Microfone dinâmico, um dos tipos de microfones usados para gravar voz

De um jeito ou de outro, é importante entender as diferenças entre os modelos. Alguns são melhores para captar sons graves ou agudos, outros são ótimos em estúdio, e outros ainda podem funcionar muito bem na captação de instrumentos específicos.

Vem entender mais como tudo isso funciona!

Padrão de captação dos tipos de microfone

A maneira como um microfone capta o som é definido por sua direcionalidade. Ou seja, a captação varia de acordo com a direção: pode ser melhor na frente, nas laterais, anular a parte de trás ou não, entre outros detalhes.

São cinco padrões principais:

Cardióide

Um dos mais comuns tipos de microfone, o cardióide capta tudo que está à frente e bloqueia os sons que vêm de trás. As laterais são um pouco captadas também. É ideal para apresentações ao vivo e gravações de fontes específicas sem vazamento de terceiros.

Super/hiper cardióide

As versões turbinadas do cardióide trazem a vantagem de focar ainda mais na frente, reduzindo as laterais. Por outro lado, com o ângulo reduzido, alguns sons traseiros podem vazar com mais facilidade.

Omni

A palavra “omni” significa “todo” ou “inteiro”. Já dá para imaginar o nível de captação desse microfone, né? Simplesmente tudo ao redor! Os omnidirecionais registram cada som a 360º e, por isso, não bloqueiam nada. São idealmente utilizados em gravações acústicas, com salas preparadas para ter apenas o que deve ser captado.

Figura 8

Como é de se imaginar pelo número, os microfones com este padrão captam tudo que está na frente e atrás, bloqueando as laterais. Em contrapartida, existe uma certa escassez de captação no centro do 8. Também chamados de bidirecionais, esses microfones são muito bons para captar reflexões de salas ou mesmo para gravar podcasts.

Shotgun

Se você costuma assistir vídeos de backstage de programas televisivos, provavelmente já viu um shotgun. São aqueles microfones longos, posicionados acima dos apresentadores e atores. A captação aqui é bem direcionada para a frente. Laterais e fundo não são bloqueados, mas reduzidos.

Tamanho do diafragma

Sim, microfones possuem diafragma e não, não tem nada a ver com o músculo que nós temos! Trata-se de um material bem sensível que vibra ao receber ondas sonoras, causando energia cinética que é então transformada em energia elétrica.

Os diferentes tipos de microfone possuem diafragmas de tamanhos distintos. Cada um entrega uma sensibilidade e pressão sonora, além de também afetar a capacidade do aparelho de alcance de frequência e níveis de ruído interno. Confira as particularidades dos tamanhos a seguir.

Pequeno

Se você já viu aqueles microfones que parecem uma caneta, você conhece os pencil mics, que tem como principal característica o diafragma pequeno

Esses são ideais para gravações acústicas e captações de alta frequência. Isso ocorre porque as frequências mais altas possuem menos energia, então não há tanto poder de locomoção de massa. Em suma, o diafragma não produz tanta energia ao receber o som.

Por outro lado, já que a sensitividade aos agudos é alta, esses microfones não devem ser usados em captações altas em outros tons. O ruído interno também pode atrapalhar. Então nada de baterias ou outros instrumentos muito barulhentos!

Médio

Aqui temos os microfones híbridos. Eles trazem algumas vantagens do diafragma grande, como a capacidade de receber o som “cheio”, e também do pequeno, que é a sensibilidade aos sons agudos.

São aparelhos modernos e que vêm ganhando espaço aos poucos, tanto em gravações quanto em apresentações ao vivo.

Grande

Diferente do diafragma pequeno, que é sensível especialmente aos agudos, o grande é sensível à toda vibração. Mesmo as menores variações de pressão sonora são captadas com clareza.

Não é à toa que esse tipo de microfone é o mais comum em estúdios. Não há muita limitação: voz, instrumentos, gravação ou ao vivo, há possibilidade para tudo.

Tipos de microfone

Englobando padrões de captação, tamanhos de diafragma e outros detalhes, podemos citar três microfones como os tipos principais do mercado: o dinâmico, o condensador e o de fita (também chamado de ribbon).

Microfones dinâmicos

Esse é o tipo de microfone que você mais viu na vida, pode apostar. Os dinâmicos geralmente representam um ótimo custo-benefício e são utilizados tanto em estúdios profissionais quanto home studios ou apresentações ao vivo

A preferência acontece por alguns fatores. Primeiro, eles captam sons altos muito bem, razão pela qual são comumente utilizados para baterias e cabines de guitarra e baixo. Além disso, o diafragma dos dinâmicos é composto por uma bobina magnética móvel que apresenta grande resistência a pressões sonoras. Eles têm as melhores taxas de SPL (Sound Pressure Level).

Veja algumas opções de modelos populares de microfones dinâmicos:

Shure SM57

Facilmente o mais popular entre os dinâmicos. O Shure SM57 está no mercado há décadas, é de ótima qualidade e durabilidade invejável. O valor pode variar entre R$500 e mais de R$1000, dependendo se é novo ou usado, da loja em questão, entre outros fatores.

Shure SM7B

Outro modelo famoso da Shure, o SM7B foi desenvolvido para captar com alta qualidade os vocais. Ele tem um pop filter integrado, rolagem de graves e aumento da presença de médios. São detalhes técnicos como esses que o fizeram ser escolhido na gravação de Thriller, o aclamado álbum de Michael Jackson. O preço entra na faixa dos R$3 aos R$4 mil.

Microfones condensadores

O diafragma como explicamos acima — transformando energia em som — é encontrado nos condensadores. Por isso, o diafragma se torna um tipo de capacitor eletrônico, o que requer que o microfone seja carregado para funcionar.

Em compensação pelo trabalhinho extra, o som se torna mais fiel ao original. Esses microfones são usados principalmente para gravação de voz em estúdio e overheads de bateria (aqueles que ficam por cima do instrumento). É claro que, como há diferenças entre os diafragmas, a melhor utilidade de cada um deles varia também.

Confira dois exemplos, um com cápsula grande e outro com cápsula pequena:

AKG C414

Um clássico de muita versatilidade com diafragma grande. Este modelo da AKG já passou por muitas edições e a original pode ser considerada uma relíquia. Dos mais atuais, a versão XL II pode ser encontrada por R$4 mil até R$8 mil, aproximadamente.

Neumann KM184

Uma boa opção de diafragma pequeno é este modelo de referência em estúdios para gravar diversos instrumentos, principalmente violão, piano e chimbais.Também é versátil o suficiente para ser usado acusticamente. Cada um desses sair por algo em torno de R$4 e R$5 mil.

Microfones de fita

Aqui, o diafragma contém uma fita de metal que capta, além da movimentação do ar causada pelas ondas sonoras, a velocidade desse movimento. São microfones antigos, famosos nos anos 50 e 60, mas ainda utilizados quando os produtores procuram um som mais vintage.

A sensitividade a agudos é alta e, atualmente, a resistência se tornou maior do que era no passado (mas ainda vale tomar bastante cuidado!). Veja algumas opções:

Cascade Fathead

Popular e premiado, o Cascade Fathead é versátil para inúmeros usos e possui um design totalmente simétrico, facilitando o padrão de Figura 8 que os ribbon apresentam. O preço de um par desses para uso estéreo está na casa dos R$5 mil.

Oldbox M1 Ribbon

Que tal um made in Brazil? Este modelo é fabricado por aqui e foi pensado para gravar guitarras, principalmente, mas a OldBox também o indica para instrumentos de sopro, over de bateria e violões. O preço é um dos mais acessíveis da lista: cerca de R$900 cada.

Qual é o melhor dos tipos de microfone?

Não há uma resposta única. O maior determinante é a sua necessidade e objetivos com o mic, além do orçamento disponível. Cada tipo tem sua importância no mundo do áudio e oferece vantagens específicas.

Como escolher o tipo de microfone certo

A sua demanda dita o que pode ser melhor para você. O objetivo é usar o aparelho para gravar guitarra em estúdio? Para cantar ao vivo? Gravar um podcast? Fazer a locução em uma rádio? Para cada possibilidade, há um microfone.

Microfones dinâmicos e condensadores, alguns dos tipos de microfone
A escolha do microfone passa muito pelo que você pretende produzir (Foto/FreePik)

Um músico gravando em casa, por exemplo, pode ter opções mais simples e econômicas do que um produtor, que deve oferecer alguma variedade de captações nas gravações. Dependendo do ambiente em que será utilizado, é muito importante também considerar o cancelamento de ruídos e padrão de captação. O design pode influenciar bastante os palestrantes, que também focam na apresentação visual.

Mesmo que você comece com um modelo simples, é possível evoluir em sua necessidade de diferentes tipos de microfone. Com o tempo, é natural trocar e mudar de acordo com as novas demandas. Só tenha certeza de que está analisando todos os aspectos do que você precisa.

Por fim, mas não menos importante, aprenda mais sobre microfones e gravação no curso gratuito de áudio do Cifra Club.

Leia também

Ver mais posts

Cifra Club Pro

Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
Cifra Club Pro
Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
OK