Cifra Club

Você sabe como usar o metrônomo? Aprenda com 3 exercícios!

Você sabe como usar o metrônomo? Chegou a vez de falar da ferramenta que nos ajuda a manter os ritmos regulares das músicas. Logo, iremos estudar como usar essa ferramenta que melhora o desempenho de um músico nos estúdios, nos palcos, bem como na hora de compor.

Metrônomo mecânico sinalizando o tempo de uma música
O metrônomo não pode ser encarado como inimigo dos músicos (Reprodução/Internet)

Trata-se do nosso melhor amigo na hora de fazer as interpretações dos arranjos das canções, pois é fundamental na manutenção de um tempo padrão. Além disso, ele é um ótimo treinador de velocidade, tendo em vista que a repetição de exercícios e o aumento gradativo da velocidade ajudam na sua rapidez no instrumento.

O metrônomo é uma ferramenta prática que produz um pulso estável (ou batida) para ajudar os músicos a tocarem com a maior precisão de tempo possível. Os pulsos são medidos em batimentos por minuto (BPM), e a maioria dos metrônomos é capaz de tocar de 35 a 250 BPM.

A importância de saber como usar o metrônomo

Muita gente, principalmente quem tá começando a tocar, enxerga o metrônomo com certo receio. A culpa disso é dos boatos sobre a complexidade em torno do uso desse recurso tão importante.

Mas você já parou pra pensar que é tão equivocado tocar a nota errada na hora certa quanto tocar a nota certa na hora errada? Com isso, neste post você vai conferir três exercícios fundamentais para ter essa necessária ferramenta na ponta dos dedos!

1. Treine numa velocidade lenta e faça exercícios simples

O primeiro passo é começar com um fundamento mais simples. Para isso, coloque o metrônomo num andamento reduzido.

É claro que o que é lento para um iniciante não é o mesmo que para um músico avançado. O objetivo aqui é encontrar um intervalo que lhe pareça confortável.

Na sequência, execute exercícios simples de digitação psicotécnica, que são aqueles que a gente faz para conseguir a independência dos dedos da mão esquerda. Lembrou? Tô falando das famosas sequências 1 2 3 4, por exemplo. Veja a tabelinha:

Tabela de exercício de digitação psicotécnica
A tabela de exercício de digitação acompanha o músico por toda a carreira (Reprodução/Internet)

Lembrando que você deve percorrer todo o braço do instrumento, bem como passear por todas as cordas fazendo essas digitações. 

Depois de dominar a tabelinha acima, experimente tocar alguma escala nesse andamento mais lento. Você pode também executar algum solo ou riff que conheça, mas sempre seguindo o tempo do metrônomo.

Pode parecer besteira, mas, no decorrer dos treinos, você perceberá a imensa diferença que esse exercício provoca na habilidade.

2. Diminua o andamento do metrônomo

Na etapa seguinte do processo de saber como usar o metrônomo, a proposta é desafiadora. Pra conseguir um bom desempenho, é preciso deixar de lado a eterna busca pela velocidade. Ela é um fundamento que vem com o tempo e já tendo a capacidade de automatizar os movimentos. Isto é, só toca rápido quem toca lento.

Dito isso, informo que você fará exatamente o contrário do que está acostumado a fazer:

  • Programe o metrônomo num andamento mais brando, como 80 BPM, e execute um exercício de sua preferência (pode ser uma escala, ou mesmo a tabelinha do item anterior);
  • Depois de executar o exercício com precisão, não aumente a velocidade! Nesta fase, você diminuirá o ritmo pela metade, ou seja, o metrônomo deve ficar na casa dos 40 BPM;
  • Após isso, repita o exercício com 100 BPM, e depois diminua para 50 BPM. Brinque com as velocidades!

A finalidade desse exercício é constatar, por meio do infalível metrônomo, que você está tocando as notas no tempo correto. É um modo de treinar que te ajuda a desenvolver a precisão.

3. Identifique os pontos complexos da música

Além de nos ajudar a tocar no ritmo correto, a ferramenta auxilia na identificação de partes difíceis das canções. Afinal, toda música tem trechos mais fáceis e outros mais complexos.

Uma vez que aprendemos como usar o metrônomo, conseguimos executar músicas no ritmo correto e também identificar partes difíceis. Sem a natureza implacável da ferramenta, é provável que você desacelere inconscientemente nesses pontos. Porém, quando o metrônomo está ativado, os trechos difíceis ficam mais perceptíveis.

Usando o metrônomo para treinar a parte difícil da música

Para treinar tais partes mais complicadas com a ajuda de um metrônomo, você deve isolar esses pontos complexos e transformá-los em exercícios.

Exemplo: suponha que esteja estudando uma determinada música e chegou a hora de lidar com a parte difícil do rolê. Antes de tudo, é interessante você descobrir o andamento original da canção. Para te ajudar nisso, convoco o meu querido amigo Vinícius Dias:

Depois de ouvir bem e descobrir o andamento do trecho mais complicado da música, você seguirá o seguinte roteirinho:

  • Selecionar o trecho e treiná-lo separado, com a ajuda de um metrônomo em andamento lento (tenha em mente que você pode precisar fazer isso de forma extremamente lenta no começo);
  • Conforme for dominando e adquirindo segurança e conforto, aumente o andamento;
  • Em seguida, diminua a velocidade e execute o trecho novamente.

Depois de treinar bastante os três passos acima, você ganhará precisão e terá uma melhor desenvoltura na hora de tocar a música no ritmo certo.

Metrônomo Cifra Club

Para aplicar tudo o que foi passado neste artigo, é necessário ter um metrônomo – e de qualidade – por perto. O Cifra Club desenvolveu um metrônomo digital 100% prático, intuitivo e útil.

Disponível para Android e iOS, esse brinquedinho conta com um layout focado na usabilidade e tem, inclusive, uma indicação visual para você acompanhar as batidas.

Baixe agora mesmo pra já garantir qualidade nos estudos de tempo das músicas!

Metrônomo em alta velocidade

Bem… Já que você chegou até aqui, quero encerrar nossa conversa de um jeito bem top. Para me ajudar com essa questão, apresento o desafio travado entre dois caras que são feras no uso do metrônomo!

De um lado, temos o inigualável Vinícius Dias, músico e instrutor do Cifra Club. Como seu oponente no ringue-palco, o incrível músico e professor Marco de Ros. Eles toparam descobrir qual dos dois toca mais rápido! Quem será que ganhou o desafio? Dê o play e confira o resultado:

Se curtiu e absorveu o conteúdo mostrado, mande este post para quem possa se interessar em saber melhor como usar o metrônomo!

Leia também

Ver mais posts

Cifra Club Pro

Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
Cifra Club Pro
Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
OK