Cifra Club

Saiba quais são todos os tipos de baquetas

Conhecer os tipos de baquetas que existem é imprescindível para lapidar o som que você tira na bateria.

Vários tipos de baquetas
Existem diversos tipos de baquetas, cada um indicado para uma sonoridade específica (Foto/Reprodução/Internet)

Muita gente não dá às baquetas o valor merecido que têm. Mas elas estão entre as partes mais importantes da bateria, por serem fundamentais na sonoridade alcançada. Portanto, conheça agora os todos os tipos de baquetas e escolha a melhor para o seu estilo!

Essa busca começa antes, no momento em que você vai comprar a sua bateria. Além de combinar com as peles e pratos, as baquetas precisam ser fáceis de manusear. Além disso, claro, te ajudar a chegar no som que você procura.

Qual é a melhor baqueta para o seu som?

Avalie o estilo que você mais toca: muitas viradas ou mais groove? Som leve ou volume no máximo? Por último e ainda mais importante: qual tipo de baterista você é? Sua pegada, a forma de segurar as baquetas, mão pesada, pulso rápido… Tudo isso é relevante na escolha de qual tipo de baquetas utilizar.

Então, conheça abaixo os principais tipos de baquetas e escolha as que têm mais a ver com você!

Baquetas acústicas 

As mais conhecidas, elas são usadas em kits tradicionais de bateria. São confeccionadas em materiais como:

  • Jatobá: mais pesada e de ótima durabilidade. Estridente nos pratos e nos tambores, é indicada para bateristas que têm a “mão pesada”;
  • Marfim: leve, resulta em um som de maior suavidade. Indicada para quem quer rapidez no instrumento;
  • Hickory: chama a atenção pelo custo-benefício. Macia e durável, é o tipo mais procurado do mercado.

As baquetas acústicas também podem ser encontradas em fibra, mas esse material, apesar de ser o mais durável de todos, não é muito elogiado. Isso porque produz um som sem expressão e deixa a desejar na tocabilidade.

Pontas de baquetas

As pontas das baquetas acústicas podem ser de madeira, fibra, metal e nylon. Os dois últimos modelos arrancam aquele som mais agudo e brilhante, principalmente nos pratos.

Já os formatos das pontas variam bastante. Além da baqueta sem ponta, temos os seguintes desenhos:

  • Cilíndrica ou barril: ponta arredondada, com o topo liso. É para quem procura um som mais forte e definido;
  • Tradicional ou gota d’água: a mais usada, resulta em riqueza de harmônicos. Nesse formato, são encontradas as pontas das baquetas em nylon;
  • Flecha: pontuda, traz aquele “ataque cortante”;
  • Oval: parecida com a ponta tradicional, mas com a extremidade ligeiramente mais fina. Produz um som mais seco e limpo;
  • Redonda: aquela pontinha curta, uma bolinha mesmo, em madeira, na extremidade da baqueta. Traz brilho para o som.

Medidas das baquetas

Aqui, é importante considerar não apenas a sua pegada, mas o tipo que fica mais confortável para a sua mão. Além, claro, do som almejado.

Baquetas grossas são ideais para arranjos mais pesados, enquanto as finas são procuradas por quem executa técnicas que exigem maior dinâmica e velocidade.

O mesmo vale para o comprimento. As baquetas curtasresultam naquele ataque mais concentrado. Por outro lado, as baquetas longas levam à maior agilidade. Confira como são classificadas as medidas das baquetas:

Letras: indicam o tipo de uso:

  • A: all purpose, ou uso geral;
  • B: bands, para bandas de teatro e orquestra;
  • S: street, ou seja, bandas de rua e marciais, de tamanho reduzido.

Números: definem comprimento, peso e diâmetro. 

Com isso, dentro desses critérios, as medidas das baquetas são comercializadas nas seguintes categorias:

  • 5A: versátil, é o tipo adotado pela maioria dos bateristas;
  • 5B: mais pesada, faz sucesso em bandas mais altas, de rock, black music, punk etc.;
  • 7A: as baquetas mais leves de todas. Indicado para gêneros como jazz, MPB, forró e música latina;
  • 2B: as que apresentam o maior peso e resistência. Funcionam para aquele tipo de som que precisa de um baterista de pegada pesada.

Mallets 

A diferença desse tipo de baqueta para os outros são as pontas, normalmente feitas de lã, algodão e feltro. Com essa ponta, é possível alcançar um efeito de “crescendo e decrescendo” nas peles e, sobretudo, nos pratos.

A baqueta mallet é mais vista em orquestras, já que funcionam muito bem em instrumentos de percussão feitos com materiais mais rígidos. Entre eles, tímpano, bombo, surdo, marimba e xilofone.

Também aparecem no kit de bateria para música popular, principalmente quando se busca um som mais pesado.

Vassourinhas

Presentes no jazz, acústicos e formações de arranjos leves, as vassourinhas encantam nos ataques e também nas charmosas arrastadas na pele.

Dessa forma, elas trazem cerdas de metal ou nylon, com base de plástico.

Rod sticks

Usadas em ambientes reduzidos ou apresentações desplugadas, essas baquetas são formadas por um maço de varetas, em madeira ou nylon, com as pontas retas.

Uma fita de tecido ou borracha envolve as varetas, para que o baterista ajuste a quantidade e a firmeza delas.

Toque bateria cada vez melhor!

Conhecer os tipos de baquetas é um passo importante para se tornar um grande baterista. Por fim, o próximo degrau é estudar e melhorar ainda mais. Mas como fazer isso? Basta assinar o Cifra Club Academy, a nossa plataforma de ensino online!

O mestre João de Paula vai te guiar por essa mágica aventura no mundo dos tambores e pratos! E você vai se lembrar que tudo começou pela escolha das baquetas! Então, nos vemos lá, futuro craque da bateria!

Leia também

Ver mais posts

Cifra Club Pro

Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
Cifra Club Pro
Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
OK