Cifra Club

Aprenda a tocar cifras sertanejas antigas

Confira as melhores cifras sertanejas antigas e aumente o seu repertório no violão!

Que a música sertaneja é uma das principais vertentes da música brasileira, não é nenhuma novidade. Além da importância cultural, ela também produz alguns dos maiores sucessos do país. Por isso, elaboramos uma lista de cifras sertanejas antigas!

Com suas origens no que chamamos de sertanejo raiz, aos poucos esse gênero foi absorvendo influências da música urbana de cada época.

Você vai expandir seu repertório e aprender técnicas no violão com canções clássicas. Então, afina o violão e vem com a gente!

12 cifras sertanejas antigas para aprender e tocar no violão

Preparamos uma lista para que você consiga adicionar alguns destes sucessos ao seu repertório rapidamente e também se desafiar a ampliar suas habilidades.

Você vai encontrar músicas que vão do básico ao intermediário e avançado.

1. Evidências – Chitãozinho & Xororó

Evidências é uma das músicas sertanejas antigas mais tocadas dos anos 90.

A versão que apresentamos no Cifra Club já é de nível intermediário-avançado, contendo 25 acordes no total e nada menos que 10 pestanas.

Você também vai encontrar vários acordes invertidos e até acordes aumentados (E5+ e C5+).

É uma ótima forma de ampliar seu repertório harmônico e ainda temos uma aula com o Gustavo Fofão para te ajudar enquanto estiver aprendendo.

2. Boate Azul – Bruno & Marrone

Boate Azul é outro grande sucesso da música sertaneja antiga. Composta originalmente por Benedito Seviero, em 1963, lançada somente nos anos 80.

Esta música já está em um nível intermediário. Ela é uma guarânia, gênero com ritmo ternário, e possui nove acordes no total, sendo seis pestanas.

Alguns acordes podem parecer difíceis, como o Eb e o Ab. Mas uma dica: o Ab pode ser realizado com o mesmo shape do F, só que na quarta casa.

3. Ainda Ontem Chorei de Saudade – João Mineiro & Marciano

Sucesso na gravação de João Mineiro e Marciano, Ainda Ontem Chorei de Saudade é outra guarânia, ritmo ternário e tradicional na música caipira.

Esta é uma canção acessível, contendo seis acordes e apenas um deles com pestana (F). Então é uma boa pedida para quem está começando e quer ampliar seu repertório!

4. Tocando em Frente – Almir Sater e Renato Teixeira

Composta por Almir Sater e Renato Teixeira, Tocando em Frente se tornou um sucesso imediato na voz de ninguém menos que Maria Bethânia.

Em termos técnicos, esta música é descomplicada, apresentando apenas quatro acordes e nenhuma pestana. Não se deixe assustar pelo F9, pois é um acorde com shape simples.

Confira a aula que preparamos com os diferentes violões que podem te ajudar a desenvolver a técnica do dedilhado.

5. A Majestade, o Sabiá – Jair Rodrigues e Chitãozinho & Xororó

A Majestade, o Sabiá foi composta por Roberta Miranda, gravada por Jair Rodrigues e Chitãozinho & Xororó. Ela é uma das mais acessíveis da lista, com apenas quatro acordes e nenhuma pestana.

É aprender os shapes e convidar a galera para cantar!

6. Romaria – Renato Teixeira

Mais uma música composta por Renato Teixeira e eternizada na voz de uma das grandes cantoras brasileiras: Elis Regina.

Romaria é uma música de nível iniciante-intermediário. Ela vai te ajudar a expandir seu vocabulário harmônico com acordes como o D7(4/9), D9/F#. Mas não se assuste com os nomes, pois são shapes tranquilos de dominar.

Fique atento ao ritmo de mudança de alguns acordes (F#7 para o Bm) nos versos e no refrão, que ocorre de forma mais rápida.

7. Sinônimos – Chitãozinho & Xororó part. Zé Ramalho

Sinônimos é uma boa música para quem está passando do nível iniciante para o intermediário e quer ter uma carta na manga para as rodinhas de voz e violão.

Entre seus oito acordes você encontrará uma pestana (F), um acorde menor com sétima (Dm7) e duas inversões (D/F# e G/B).

8. Menino da Porteira – Sérgio Reis

Menino da Porteira se tornou uma música quase obrigatória para quem quer tocar uma boa moda de sertanejo.

Esta música é um cururu e os versos são acompanhados de acordes simples (E, D e A), tornando-a bem acessível.

O maior desafio  é o famoso solo inicial. Aqui, você vai treinar o movimento em terças e sexta paralelas, algo muito recorrente e típico da música caipira.

A dica é usar o metrônomo para dominar a técnica e cravar bem o rítmo sincopado.

9. Dois Corações e Uma História – Zezé di Camargo & Luciano

Um dos grandes sucessos da música sertaneja antiga romântica, Dois Corações e Uma História, é uma música de nível intermediário-avançado.

São vinte acordes, sendo dez deles com pestanas. Algumas das fôrmas dos acordes invertidos, como o A/C# e e Bb/D podem exigir um pouco de elasticidade na abertura dos dedos.

Treine devagar até ganhar a mobilidade necessária para fazer esses acordes.

10. Não Aprendi Dizer Adeus – Leandro & Leonardo

Popularizada por Leandro e Leonardo, Não Aprendi Dizer Adeus é uma música acessível para quem é iniciante e deseja evoluir para um nível intermediário.

São apenas seis acordes e uma pestana (Bm), e o solo da introdução permite o treinamento das terças e sextas paralelas.

11. Cabecinha No Ombro – Milionário & José Rico

Grande sucesso nos anos 80 na voz de Milionário e José Rico, Cabecinha no Ombro é uma música com cinco acordes e apenas um deles possui pestana (Bm).

O shape do acorde de E7 pode parecer estranho, mas há outras possibilidades na mesma posição se você tiver dificuldades com o apresentado na cifra.

Para tanto, você pode utilizar nossa ferramenta de “variar o acorde”.

12. No Dia Em Que Eu Saí De Casa – Zezé di Camargo & Luciano

Popularizada pela voz de Zezé di Camargo & Luciano, após o sucesso do filme Dois Filhos de Francisco, No Dia Em Que Eu Saí De Casa foi composta por Joel Marques – nome que já apareceu aqui na lista.

Essa é uma música de transição do iniciante para o intermediário com seus seis acordes e uma pestana (Bm).

O solo inicial presente na nossa cifra vai te permitir desenvolver técnicas como bend, slide e release.

Expanda seu repertório de sertanejo!

Curtiu nossa seleção de cifras sertanejas antigas e quer explorar mais esse gênero tão querido? Então aproveite para conferir também a nossa lista de sertanejo sofrência para tocar! Ela é bem legal para tocar com e cantar nas rodinhas com a galera.

Foto de Marco Teruel

Marco Teruel

Marco Teruel é músico e violonista, com mestrado pela USC Thornton School of Music (EUA) e doutorado em música pela UFMG. Seus interesses musicais incluem o repertório do violão clássico, a música dos séculos XVI e XVII, a música brasileira e o heavy metal.

Leia também

Ver mais posts

Cifra Club Pro

Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
Cifra Club Pro
Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
OK