Cifra Club

La Maza

Mercedes Sosa

A Marreta

Ainda não temos a cifra desta música.

Si no creyera en la locura
De la garganta del sinsonte
Si no creyera que en el monte
Se esconde el trino y la pavura

Si no creyera en la balanza
En la razón del equilibrio
Si no creyera en el delirio
Si no creyera en la esperanza

Si no creyera en lo que agencio
Si no creyera en mi camino
Si no creyera en mi sonido
Si no creyera en mi silencio

¿Qué cosa fuera, qué cosa fuera la maza sin cantera?
Un amasijo hecho de cuerdas y tendones
Un revoltijo de carne con madera
Un instrumento sin mejores pretenciones
Que lucecitas montadas para escena

¿Qué cosa fuera, corazón, qué cosa fuera
¿Qué cosa fuera la maza sin cantera
Un testaferro del traidor de los aplausos
Un servidor de pasado en copa nueva
Un eternizador de dioses del ocaso
Júbilo hervido con trapo y lentejuela

¿Qué cosa fuera, corazón, qué cosa fuera?
¿Qué cosa fuera la maza sin cantera?
¿Qué cosa fuera, corazón, qué cosa fuera?
¿Qué cosa fuera la maza sin cantera?

Si no creyera en lo más duro
Si no creyera en el deseo
Si no creyera en lo que creo
Si no creyera en algo puro

Si no creyera en cada herida
Si no creyera en lo que ronde
Si no creyera en lo que esconde
Hacerse hermano de la vida

Si no creyera en quién me escucha
Si no creyera en lo que duele
Si no creyera en lo que quede
Si no creyera en lo que lucha

¿Qué cosa fuera, qué cosa fuera la maza sin cantera?
Un amasijo hecho de cuerdas y tendones
Un revoltijo de carne con madera
Un instrumento sin mejores pretenciones
De lucecitas montadas para escena

¿Qué cosa fuera, corazón, qué cosa fuera?
¿Qué cosa fuera la maza sin cantera?

Se não acreditasse na loucura
Da garganta do rouxinol
Se não acreditasse que no monte
Se esconde o trigo e o pavor

Se não acreditasse na balança
Na razão do equilíbrio
Se não acreditasse no delírio
Se não acreditasse na esperança

Se não acreditasse no que agencio
Se não acreditasse em meu caminho
Se não acreditasse em meu som
Se não acreditasse em meu silêncio

O que seria? O que seria a marreta sem pedreira?
Uma confusão feita de cabos e tendões
Uma mistura de carne com madeira
Um instrumento sem melhores pretensões
Que luzinhas montadas para cena

O que seria, coração, o que seria?
O que seria a marreta sem pedreira?
Um testa-de-ferro do traidor dos aplausos
Un servidor do passado em taça nova
Um eternizador de deuses do ocaso
Júbilo fervido com trapo e lantejoula

O que seria, coração, o que seria?
O que seria a marreta sem pedreira?
O que seria, coração, o que seria?
O que seria a marreta sem pedreira?

Se não acreditasse no mais duro
Se não acreditasse no desejo
Se não acreditasse no que creio
Se não acreditasse em algo puro

Se não acreditasse em cada ferida
Se não acreditasse no que ronda
Se não acreditasse no que esconde
Fazer-se irmão da vida

Se não acreditasse em quem me escuta
Se não acreditasse no que dói
Se não acreditasse no que resta
Se não acreditasse naquele que luta

O que seria, o que seria a marreta sem pedreira?
Uma confusão feita de cabos e tendões
Uma mistura de carne com madeira
Um instrumento sem melhores pretensões
Que luzinhas montadas para a cena

O que seria, coração, o que seria?
O que seria a marreta sem pedreira?

Composição: Silvo Rodriguez Colaboração e revisão:
  • Severo

0 comentários

mostrar mais comentários
00:00 / 00:00
outros vídeos desta música
repetir qualidade Automático
Outros vídeos desta música
00:00 / 00:00
Automático
OK