Cifra Club

9 chorinhos famosos para tocar no violão

Tido como um dos ritmos mais complexos da música brasileira, o choro encanta e desafia músicos há mais de um século. Por isso, separamos uma lista com 9 chorinhos famosos para tocar no violão com dicas para melhorar sua performance.

Jacob do Bandolim tocando seu instrumento
Jacob do Bandolim, autor de obras clássicas do choro (Foto/Reprodução/Internet)

Entre os grandes sucessos que preparamos, estão músicas de grandes artistas de choro, como Pixinguinha, Chiquinha Gonzaga e Waldir Azevedo. Portanto, se prepare para degustar do melhor deste gênero musical brasileiro!

Algumas das obras históricas que você aprenderá hoje:

  • Corta Jaca
  • Ingênuo
  • Brasileirinho
  • Espinha de Bacalhau

É difícil tocar choro?

Embora a versão original das músicas exija habilidade dos violonistas, com um pouco de treino é possível tocar as canções e impressionar quem estiver ao lado. Nesse sentido, as dicas que traremos vão facilitar sua vida com detalhes didáticos e você saberá as técnicas mais adequadas para cada obra. Enfim, confira os melhores chorinhos famosos para tocar no violão!

1. Carinhoso — Pixinguinha

Composta no final da década de 1930, Carinhoso é provavelmente o chorinho mais famoso da música brasileira. Para tocar essa canção, o grande segredo está no dedilhado, que sempre começa na corda mais grave.

Em seguida, vai variando entre as cordas pressionadas e soltas, de acordo com cada acorde. Esteja fera nesta técnica e arrase quando tocar um dos grandes clássicos do estilo!

Para mais informações preciosas sobre como tocar Carinhoso, acompanhe a videoaula especial abaixo:

2. Corta Jaca — Chiquinha Gonzaga

Em Corta Jaca, composta ainda no século XIX, Chiquinha Gonzaga traz toda sua inspiração para divertir e chocar a sociedade da época. Para ter o efeito parecido com o do piano, instrumento tocado pela compositora, o segredo, mais uma vez, está no dedilhado.

A dica para tocar a canção é começar pela nota mais grave, depois a intermediária, as duas notas mais agudas e voltar para a intermediária. Logo depois, mude o acorde e repita a sequência. Com isso, você conseguirá imprimir no violão o estilo único de Chiquinha Gonzaga no piano!

3. Lamentos — Pixinguinha

Inicialmente pensada apenas como uma música instrumental por Pixinguinha, Lamentos recebeu letra de Vinícius de Moraes anos mais tarde. Ao tocar essa música, fique atento aos acordes com pestana. Além disso, há shapes que, embora não exijam pestana, necessitam de bastante elasticidade dos seus dedos, como é o caso do A7/C#.

Para aumentar a abertura dos dedos da mão esquerda (para os destros), é recomendável alongá-los todos os dias antes de começar a tocar. Assim, com o passar do tempo, conseguirá fazer tudo com mais facilidade.

4. Espinha de Bacalhau — Severino Araújo e Fausto Nilo

Severino Araújo é mundialmente conhecido por ser o maestro da Orquestra Tabajara. Ademais, é o autor de um dos choros mais famosos de todos os tempos, Espinha de Bacalhau. Nossa dica é usar o polegar para ditar o ritmo da nota mais grave do acorde (os baixos). Dessa forma, você poderá controlar a melodia da canção, cuja letra é cantada de forma acelerada.

Também fique atento ao shape de C6/9. De início, esse acorde pode soar meio abafado. Por isso, é preciso posicionar a mão da maneira correta no braço do violão, para que consiga dar a pressão certa sobre as cordas.

5. Cachorro Vira-Lata — Alberto Ribeiro e Carmen Miranda

Mais um choro da década de 1930, Cachorro Vira-Lata fez muito sucesso na voz de Carmem Miranda. Como é uma música rápida, fique atento às mudanças de acordes, que acompanham a velocidade da canção.

Para ir treinando antes de se apresentar, invista seu tempo para decorar essa sequência. Isso fará com que o som soe mais limpo, com as mudanças no tempo certo.

6. E o Mundo Não se Acabou — Assis Valente e Carmen Miranda

Sucesso também interpretado pela primeira vez por Carmem Miranda, E o mundo não se acabou brinca com as previsões sobre o fim do planeta. Para ouvidos mais desatentos, ele pode até parecer um samba, mas é preciso observar que ele tem dois tempos fortes, como nos choros tradicionais.

Para tocá-lo, os acordes devem soar duas vezes antes de passar para o seguinte. Isso significa que você deve tocar, com o polegar, a nota mais grave na cabeça do tempo. Em seguida, com os outros três dedos, você toca as outras notas mais agudas.

É importante ressaltar que essa mesma técnica pode ser usada para outros chorinhos. Ou seja, quando você dominar esse fundamento, estará pronto para tocar diversas músicas do estilo!

7. Ingênuo — Pixinguinha e Benedito Lacerda

Em mais um caso de chorinho que só ganhou letra anos após sua composição, Ingênuo tem ritmo dolente e sereno. Quando tocar essa música, sua atenção deve estar voltada ao ritmo da corda mais grave.

Ele será ditado pelo dedão, que deve soar antes das cordas mais agudas. Essas, por sua vez, serão tocadas duas vezes. Ao conseguir fazer isso naturalmente, você estará pronto para apresentar mais um clássico do choro!

8. Brasileirinho — Waldir Azevedo

Música rápida, com ritmo que traz muito daquilo que entendemos como a essência do nosso país, Brasileirinho tem presença garantida em todas as rodas de choro. Para ser executada na velocidade certa, porém, é preciso muito treino e uma palhetada precisa!

É essencial que você domine a técnica de palhetada alternada, que consiste em tocar a nota ao descer e subir com a palheta. Portanto, com esse fundamento em dia e sua agilidade bem testada, será só sucesso quando tocar o hino Brasileirinho!

9. Doce de Coco — Jacob Do Bandolim

Nas recentes regravações de Doce de Coco, fica evidente a virtuosidade com que Jacob do Bandolim tocava seu instrumento. Porém, aqui vamos falar do acompanhamento do violão. No ritmo, você deve seguir o mesmo que explicamos em Ingênuo.

Ou seja, a corda grave é tocada primeiro, pelo dedão. Em seguida, toque todas as outras cordas pressionadas juntas, duas vezes. Então, muda-se de acorde e o ritmo é repetido. Sobre os shapes, como são muitos (24 no total), divida a música em partes e decore cada um dos pedaços. Assim, ficará mais fácil executar tudo de uma vez!

Como evoluir no violão?

Então, agora que você aprendeu 9 chorinhos famosos para tocar no violão, pôde perceber que algumas músicas vão exigir um pouco mais de dedicação! Ainda que pareçam muito complicadas, seu esforço será suficiente para dar conta do desafio.

Por outro lado, se quiser a ajuda de músicos profissionais para continuar a sua evolução no instrumento, o seu lugar é no Cifra Club Academy. Não deixe de conferir nossa plataforma, pois temos os melhores professores, métodos de ensino eficientes e preço acessível!

Gostou do nosso artigo? Acha que pode ajudar mais alguém que está começando a tocar violão e se interessa por choro? Então, compartilhe este artigo de chorinhos famosos para tocar nas suas redes sociais e marque aquele amigo que também vai gostar das nossas dicas!

Leia também

Ver mais posts

Cifra Club Pro

Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
Cifra Club Pro
Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
OK