Cifra Club

Desvendando as músicas de Rita Lee: aprenda a tocar as pérolas da Rainha do Rock

Ela abriu caminho para uma presença poderosa das mulheres no rock, e faz “Esse tal de Roque Enrow” como poucos. As músicas de Rita Lee marcaram época, revolucionando e apimentando o rock brasileiro.

Rita Lee é um ícone do rock feito do lado de cá do mundo (Crédito: Guilherme Francini/ Divulgação)

Rita foi notícia nos últimos dias devido ao anúncio de um câncer, nos fazendo lembrar de que infelizmente nossos ídolos não são de ferro. Aos 73 anos – mais de 50 deles dedicados a uma carreira sólida e consagrada –, Rita continua nos brindando com novos trabalhos. Os mais recentes, lançados neste ano, são Rita Lee e Roberto – Classic Remix Vol. 1 e Vol.2, em parceria com o marido, Roberto de Carvalho. 

As melhores músicas de Rita Lee

Para homenagear esse ícone do rock nacional, selecionamos algumas das canções que demonstram o lado vanguardista e inovador de Rita Lee. São pérolas que quebraram paradigmas e continuam sendo modernas e relevantes, acima de qualquer tempo. Além, é claro, de serem musicalmente ricas, um prato cheio para cantores e instrumentistas

Capa do primeiro volume do disco que apresenta remix para as músicas de Rita Lee
Parceiros na música e cúmplices na vida, Rita e Roberto lançam trabalho revisionista (Divulgação)

De antemão, avisamos que a carreira desse mulherão é gigantesca, e que não é possível sintetizar num post só. Porém, a seleção que você confere a seguir vai dar para matar a vontade de incluir a Rainha do Rock em seu repertório. Chega Mais

1. Ovelha Negra (1975)

Esse foi o primeiro grande hit de Rita fora d’Os Mutantes. A letra fala sobre conflitos familiares, ou seja, de situações que fazem parte da vida de todos. Além disso, a canção é considerada inovadora porque desmitificou a imagem de “santa” e “boa menina” que a sociedade exige das mulheres.

Para tocar Ovelha Negra, uma das mais importantes músicas de Rita Lee, você vai usar nove acordes na versão principal, todos simples. O ponto de virada, no entanto, é o solo de guitarra de Luiz Carlini. Nesse trecho, o guitar hero brasileiro usou poucas notas, bends cirúrgicos e muito feeling, compondo um dos solos mais marcantes do rock brasileiro. Em outras palavras, um gênio!

2. Mania de Você (1979)

Essa canção “dá água na boca” em qualquer instrumentista, com dez acordes relativamente simples. Tem também um bom e velho dedilhado no meio de alguns versos, o que deixa a música com uma levada ainda mais cadenciada.

Mania de Você aparece no álbum Rita Lee, em que a rockeira aparece grávida, na contracapa, junto com Roberto de Carvalho, marido, guitarrista e companheiro de jornada musical.

3. Banho de Espuma (1981)

Esse hit caliente de Rita expõe toda a sensualidade latina remanescente da década de 70 e faz parte do álbum Saúde. A música era tão ousada que foi censurada pela ditadura militar, e ela teve que fazer algumas mudanças, começando pelo título, que seria Afrodite.

Os acordes de Banho de Espuma são de nível intermediário, por causa de algumas pestanas e por exigirem dedos mais ágeis em dois versos. Apesar disso, a letra repete bastante e dá pra treinar muitas vezes em cada execução.

4. Lança Perfume (1980)

O disco Rita Lee ficou mais conhecido como Lança Perfume na época em que chegou à rádios e às lojas, tamanho o sucesso da composição. Contudo, o álbum foi um verdadeiro ninho de sucessos, a exemplo de Baila comigo, Caso Sério e Nem Luxo, Nem Lixo. O disco escancarou de vez o flerte da cantora com o pop e foi mais um divisor de águas na carreira da compositora.

Quem quer tocar Lança Perfume no violão ou na guitarra tem que saber, em primeiro lugar, que sim, são muitos acordes. No violão, a dica é abusar das batidas. Já no contrabaixo também é possível incrementar com um solo e preencher bastante o som, veja só:

5. Baila Comigo (1980)

Um solo cadenciado abre mais uma obra-prima do álbum Rita Lee, Baila Comigo. A flauta transversal aparece nas versões ao vivo mais comuns, dando também tem seu tempero especial.

A Rainha do Rock conta que essa música apareceu inteira (letra e melodia) em um sonho e, quando acordou, apenas anotou tudo e fez a harmonia no violão. Já podemos chamar de deusa, ou não?

6. Agora Só Falta Você (1975)

A palheta é um acessório importante pra reproduzir a firmeza da introdução de Agora Só Falta Você, que na nossa versão simplificada tem apenas seis acordes.

Com as banda Tutti Frutti, uma das melhores músicas de Rita Lee foram gravadas
Rita e os membros do Tutti Frutti, em algum momento dos loucos anos 7 (Foto/Divulgação)

A canção foi gravada quando Rita integrava a banda Tutti Frutti, no álbum Fruto Proibido, que já foi eleito pela revista Rolling Stone como um dos melhores discos brasileiros de todos os tempos. Sucesso entre o público e com a crítica, a canção já foi gravada por personalidades de variados estilos musicais, como Nando Reis, Maria Rita, Paulo Ricardo, Lulu Santos e Pitty.

7. Doce Vampiro (1979)

A balada romântica e sensual ao mesmo tempo (e, por que não, vampiresca) marcou o fim da década de 70 para a cantora e seu Doce Vampiro

Essa canção visceral tem apenas um padrão de ritmo no violão com pequenas variações. Porém, dão todo um charme na melodia uma harmônica na introdução e um final com uma sequência de acordes menor e maior. Essa alternância consegue provocar uma narrativa melódica interessante na música e até causar um clima de tensão e “happy end” no final. Dá uma olhada:

Conhecendo a história por trás das músicas de Rita Lee

Rita Lee Jones de Carvalho nasceu na véspera do Ano-Novo de 1947, em uma família paulistana de ascendência norte-americana e italiana. A própria narra a trajetória em detalhes no livro Rita Lee – Uma autobiografia, lançado em 2016. Em 2017, tornou-se uma das maiores best sellers nacionais, sendo a autora brasileira que mais vendeu livros na categoria não-ficção no Brasil, segundo a Forbes.

Rita Lee em sua clássica imagem com as mãos erguidas e o nome escrito nas palmas
O mundo é bem melhor sob a ótica sempre certeira de Rita Lee (Foto/Internet)

Na obra, ela conta algumas passagens pesadas da vida, como uma agressão sexual grave que sofreu quando criança, decepções amorosas e dependência de drogas. Porém, todas são encaradas com leveza e sem amargura, lançando mão de irreverência e bom humor. Um de seus versos mais famosos é, inclusive, “brinque de ser sério / leve a sério a brincadeira” (Me Recuso, uma parceria com Lee Marcucci e Luiz Sérgio Carlini).

E a carreira é a brincadeira mais séria de Rita, que hoje é reconhecida como nossa Rainha do Rock. Ela foi estrela dos festivais de música brasileira dos anos 60, como o de 1967, em que, com 20 anos, arrasou cantando Domingo no Parque, com Gilberto Gil e Os Mutantes.

Mirando o estrelato

Em 1966, Rita formou o trio Os Mutantes, com os irmãos Sergio Dias Baptista e Arnaldo Dias Baptista, com quem foi casada. Há muitas histórias em torno da saída dela, em 1973, mas a própria relata a versão de que foi demitida da banda.

Os Mutantes representam um capítulo importante para a carreira e para as músicas de Rita Lee
Os Mutantes fizeram um rock “portupiguarabritafricano” (Foto/Divulgação)

Porém, como há males que vêm para o bem, a reviravolta a levou a planejar uma carreira solo e a produzir algumas das melhores criações da música brasileira. Outra parceria (novamente, uma dobradinha entre amor e profissão), desta vez com Roberto de Carvalho, gerou como frutos alguns dos maiores hits dos anos 80. Entre eles, temos Banho de Espuma, Baila Comigo e Mania de Você – que você já aprendeu a tocar conosco, certo?

Depois de conhecer a história e acompanhar nossa seleção musical, “Agora Só Falta Você” incrementar o repertório e continuar perpetuando as melhores músicas da Rita Lee por aí!

Leia também

Ver mais posts

Cifra Club Pro

Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
Cifra Club Pro
Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
OK